sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

A Rede Social

título original:The Social Network
gênero:Drama
duração:2 hr 1 min
ano de lançamento: 2010
estúdio: Columbia Pictures / Relativity Media / Michael De Luca Productions / Scott Rudin Productions / Trigger Street Productions
distribuidora: Sony Pictures Entertainment / Columbia Pictures
direção: David Fincher
roteiro: Aaron Sorkin, baseado em livro de Ben Mezrich
produção: Dana Brunetti, Ceán Chaffin, Michael De Luca e Scott Rudin
música: Trent Reznor
fotografia: Jeff Cronenweth
direção de arte: Curt Beech e Keith P. Cunningham
figurino: Curt Beech e Keith P. Cunningham
edição: Kirk Baxter e Angus Wall

Filme biográfico sobre o criador da rede social Facebook. A história mostra como ele criou a idéia, amigos, inimigos e uma conta bancária bilionária aos 20 e poucos anos.
Todo o roteiro se desenvolve no esquema "pense rápido", se você perdeu uma cena ou um diálogo azar, não haverá explicações depois. Mesclando o período de desenvolvimento da rede e os processos que o criador enfrentou depois, as coisas acontecem de maneira meio jogada.
Na primeira cena, onde você ainda está se acostumando com o ambiente, o personagem principal aparece tendo uma conversa alucinante com sua namorada. Gênio, hiperativo e dislexo. O rapaz desenvolve três assuntos ao mesmo tempo, divagando e ainda conseguindo fazer tudo isso na velocidade da luz. E isso é só um aperitivo, durante todo o filme os diálogos se desenrolam assim. E consegue ficar pior quando Justin Timberlake entra na história no papel do criador da Napster.
Mas não que isso seja ruim, afinal alguns diálogos, mesmo que fossem devagar só devem ser realmente compreendidos por pessoas que estudam computação ou são programadores.
Para mim ficou a impressão que o roteiro não se trata de um grande criador, sua obra prima e a fortuna que fez. Mas sobre um rapaz inseguro e sem amigos que se escondia atrás da máscara de arrogante e babaca. Mais ou menos assim: "Eu não consigo me relacionar direito com as pessoas  por ser um gênio? Vou dar motivo então para me acharem escroto."
Não há vilões e mocinhos, mas sim seres humanos tendo de enfrentar todos os problemas que grandes empreendimentos podem trazer. Mas o que me pareceu "menos" errado no todo foi o único amigo dele Eduardo, o brasileiro.
Questão a parte: tem uma cena em que os gêmeos estão competindo remo na casa de um príncipe. por favor me ajudem! A música que toca no momento tocava em um desenho, só não me lembro qual. Estou em dúvida entre Fantasia ou Inspetor Bugiganga, ou seria outro?
Por fim, o filme é muito legal mas cansa a cabeça por não ser fácil acompanhar a agilidade com que a história e diálogos se desenvolvem.

CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha Técnica: IMDb


Atualização: o queridíssimo Raoni me passou o nome da música do Inspetor Bugiganga (In the Hall of the Mountain King),e é ela mesmo que toca! Ufa! Odeio ouvir uma música e não lembrar de onde conheço. 

Atualização2: juro que é a última! mas me veio na cabeça outro lugar que essa música toca e é muito marcante. No filme M - O Vampiro de Dusseldorf. É a marca do assassino assoviá-la. 

6 comentários:

  1. Olá querida, a música que toca na parte em que os gêmeos Winklevoss disputam é parte de uma peça orquestral chamada, opus 23, composta por "Edvard Grieg" para Henrik Ibesen's de Peer Gynt.

    Agora não sei se ele foi utilizada em Inspetor Bugiganga, ou em Fantasia, já que ambas as músicas também são orquestradas.
    O nome daquela partezinha que toca no filme se chama "In the Hall of the Mountain King" procurei por curiosidade ela no youtube, e vários artistas já tocaram alguma versão dela.
    Espero que tenha esclarecido, gostei muito da crítica, até mais.

    ResponderExcluir
  2. doido pra ver e ainda não tive tempo. Essa parada dos diálogos me dá mais animo pra ir assistir.

    ResponderExcluir
  3. É o filme do ano!

    Parabéns pelo blog, já tô seguindo :D

    ResponderExcluir
  4. Nice analisis, really. it's a complex and easy movie in the same moment. and already a "cult" movie. I guess it talks about 1) solitude (the last scene is PERFECT 2) new capitalism, and a kind of "class" revenge.

    ResponderExcluir