segunda-feira, 13 de setembro de 2010

M, O Vampiro De Dusseldorf

  • (M, 1931)
  • Direção: Fritz Lang 
  • Roteiro: Thea von Harbou, Fritz Lang 
  • Gênero: Policial/Suspense
  • Origem: Alemanha
  • Duração: 111 minutos
Um infanticida deixa a cidade de Dusseldorf na Alemanha em pânico pela onda de terror que ele vem espalhando na região. Como a polícia não consegue encontrá-lo, um grupo de foras-da-lei se une para pegar o assassino. Quando é encontrado, o levam para o tribunal dos criminosos, onde é julgado por ter quebrado as regras do submundo.
Mesmo sendo um Pós-Expressionismo, ainda dá para se perceber uma certa influência da fase nesse filme, como a sombriedade de Nosferatu (o original e não o que comentei aqui). A dramatização é de deixar os cabelos em pé de medo, além da iluminação aterrorizante. Destaque para o ator principal, Peter Lorre, originário do teatro que era conhecido por seus grandes olhos que dão um tom muito mais psicótico ao personagem.
Destaque para a mensagem enviada aos grupos nazistas que começavama a nascer naquela época mostrando bem o clima de terror que se espalhava; e a música que ele assovia durante quase todo o filme deixando até os cabelinhos da sobrancelha arrepiados - um trecho da ópera “Peer Gynt”, de Edvard Grieg, com certeza você já ouviu em algum lugar e vai ficar com ela na cabeça por alguns dias.
É um clássico que com certeza serviu de diretriz para muitos outros filmes de terror que ainda estavam por vir.

CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha técnica: CinePlayers 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.