domingo, 26 de setembro de 2010

O Morro Dos Ventos Uivantes

  • título original:Wuthering Heights
  • gênero:Drama
  • duração:01 hs 42 min
  • ano de lançamento:1992
  • estúdio:Paramount
  • distribuidora:Paramount Pictures
  • direção: Peter Kosminsky
  • roteiro:Anne Devlin, baseado em livro de Emily Brontë
  • produção:Mary Selway
  • música:Ryuchi Sakamoto
  • fotografia:Mike Southon
  • direção de arte:Richard Earl
  • figurino:James Acheson
  • edição:Tony Lawson
  • efeitos especiais:Effects Associate Ltd. / The Computer Film Company
Baseado no livro de Emily Brontë, o filme conta a história da marcante paixão entre Cathy e Heathcliff - seu irmão adotivo - que acaba sendo destruída após a morte do pai dela, o que leva o irmão mais velho a separá-los. Depois de um tempo Cathy se casa com Edgar, um homem rico e gentil, despertando o ódio de Heathcliff que foge para fazer fortuna e depois de um longo tempo retorna para se vingar,  ignorando que ela na verdade o ama.
Não li o livro, e vi muitas pessoas dizendo muito bem dele. Mas mesmo assim posso ter certeza que o filme não chega nem aos pés da obra original.
A começar que a história foi criada no período literário do Romantismo, movimento que não  me agrada, mas vi uma certa influência do goticismo, período que gosto mas não ajudou a salvar a história.
Vi uma análise Freudiana onde dizia que Cathy seria a representação do Ego, Heathcliff do Id, e Edgar do Superego; me interessou um pouco mais vendo por esse ponto, pois me ajudou a justificar vários diálogos que ocorreram e no momento não fizeram sentido algum para mim, mas mesmo assim deixou a desejar.
A fotografia é linda, mas a história não mantém uma continuidade lógica, partes importantes e esclarecedoras para o desenvolvimento do roteiro não acontecem deixando o telespectador confuso.
Os atores parecem que esqueceram as aulas de interpretação para trás antes de fazer o filme, nenhuma interpretação salva e não há química entre os personagens principais.
Sem contar que a história toda se baseia em um rancor sem fundamento, tudo bem aí é uma criação da autora e cada um cria como quer, mas acredito que no filme isso foi passado da maneira errada.
De verdade acabei de assistir o filme com raiva de tê-lo alugado.

CLASSIFICAÇÃO: PÉSSIMO

Poster e Ficha Técnica: IMDb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.