segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Rastros de Ódio

título original: The Searchers
gênero: Drama, Faroeste
duração: 1h 59 min
ano de lançamento: 1956
estúdio:  Warner Bros.
direção: John Ford
roteiro:  Frank S. Nugent , Alan Le May
fotografia: Winton C. Hoch

Ethan é um soldado que volta para casa após a Guerra Civil. Após reencontrar o irmão, sua esposa e seus sobrinho, ajuda um vizinho a ir em busca de seu gado que foi roubado. Porém, enquanto ele e o filho adotado mestiço estão fora, os índios atacam e massacram a família, sequestrando as filhas. Eles juram resgatá-las e fazem de tudo para cumprir a promessa.
Acho que assisti tanto faroeste nos últimos tempos que dei uma enjoadinha, então andava evitando. Mas esse veio para esquentar a relação novamente.

Segue a fórmula mocinho-bandido como de costume, o que me incomoda um pouco nesse caso por questão de princípios - colocar índios como vilões é meio complicado - mesmo assim passei por cima pelo bem da trama.
Ainda assim, foge da idéia de "todos felizes para sempre" no final. É um filme duro, mas que te emociona.
John Wayne faz um personagem que parece ser movido pelo desejo de proteger a família, mas na verdade é movido pelo racismo. E mais uma vez, mesmo tendo traços desprezíveis, consegue ser simpático e cativar o público.
Por fim, a trilha sonora (perfeita) não poderia encaixar melhor com uma fotografia de cair o queixo. John Ford sabe como ninguém escolher escolher os cenários e valorizá-los com enquadramentos incríveis.

CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha Técnica: IMDb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.