quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Durval Discos

gênero: Comédia, Drama
duração: 96 min 
ano de lançamento: 2002
estúdio:  Africa Filmes
direção: Anna Muylaert
roteiro: Anna Muylaert
fotografia: Jacob Solitrenick

Durval é dono de uma loja de discos e vive na sobreloja com sua mãe. Ele decide contratar uma faxineira para ajudá-la, mas a moça acaba trazendo grandes surpresas para a casa.

O filme se passa em 1995, ano em que a indústria fonográfica brasileira parou de produzir vinis.
Quando resolvi assistir achei que me depararia com uma comédia nacional bobinha, o que encontrei foi algo bem diferente.
A trama me pareceu tratar da obsolescência, não só dos meios musicais, mas da vida em si. A maneira como a mãe reage com a chegada da faxineira e depois com a menina me deixou essa sensação.
No começo me pareceu uma comédia com toques de drama, mas conforme foi passando surgiu o lado mais comédia de erros até chegar no suspense bizarro.
Como não é uma mega produção, imagem e som fazem mais o estilo produção alternativa, o que pra alguns pode incomodar um pouco. Tive problemas em entender as falas em alguns momentos, mas a trilha sonora de alta qualidade compensa.
[SPOILER/] A cena da defunta no quarto, com o cavalo e a menina de princesa pintando a parede de sangue é a cereja do bolo, dando o toque surrealista que faltava à trama. [\SPOILER]

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Poster e Ficha Técnica: IMDb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.