sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Diário de Uma Paixão


título original: The Notebook
gênero: Romance
duração: 123 min
ano de lançamento: 2004
estúdio: New Line Cinema
direção: Nick Cassavetes
roteiro: Jeremy Leven, Jan Sardi, Nicholas Sparks
fotografia: Robert Fraisse
direção de arte: Sarah Knowles

Em uma clínica geriátrica, um senhor bem de saúde conta a uma senhora com um quadro grave a história de amor de Allie e Noah, dois jovens que sofreram para viver seu amor por serem de classes sociais diferentes.
Um roteiro extremamente romântico, que pode ser considerado muito meloso por alguns, mas com certeza em algum momento pelo menos emociona a todos
Um dos meus favoritos no gênero Romance e é impecável dentro dessa temática. Os encontros e desencontros do casal, a maneira como a história do passado e a do presente se entrelaçam.
Trilha sonora e fotografia casam perfeitamente para deixar essa produção ainda mais emocional.
Rachel McAdams e Ryan Gosling têm uma química de tirar o ar, que complementa ainda mais seus personagens.
Sem dúvida um filme obrigatório para os românticos de plantão.

CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha Técnica: IMDb

5 comentários:

  1. Perdoe-me, mas classificar "Dirty Dancing" como bom e "Diário de Uma paixão" como ótimo, nos leva à sérias reflexões sobre o subjetivismo utilizado na construção de algumas críticas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dirty Dancing é um clássico, e isso "não se discute", como musical, pelas interpretações, pela trilha sonora, pelas coreografias e etc. Mas como romance, para mim, e é disso que esse blog se constitui : da minha opinião pessoal e não de uma verdade universal, eu prefiro o Diário de uma Paixão.

      Excluir
  2. Toda subjetivação é feita por um sujeito. Um filme deve ser analisado por seu mérito, e pelo que pretende alcançar, seja Dirty Dancing como um musical que modificou uma maneira de pensar. Ou seja Diário de uma Paixão que tem o objetivo de ser um romance, pretensões de um drama adolescente e alcança esses objetivos. A autora subjetiva esses filmes como sujeita que pensa nos propósitos do filme para fazer sua crítica, assim, ela está no direito de dizer se o filme é bom ou ruim através de sua construção histórica!

    ResponderExcluir
  3. Perdoem-me novamente, mas não posso deixar de mostrar meu ponto de vista, visto que ele foi criticado. O que quis dizer é que um crítico "não pode apresentar uma avaliação puramente subjetiva, mas também deve apresentar descrição de aspectos objetivos que dêem sustentação aos seus argumentos". É isso que entendo por crítica e é isso que a difere de uma opinião. Meu filme favorito é "A casa do lago" nem por isso eu faria uma crítica estupenda sobre ele. Reconheço suas falhas embora minha subjetividade me faça entendê-lo como o melhor filme que já assisti. Espero que tenha ficado claro, encerro o assunto por aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas ai esta a questao, em nenhum momento me ponho como critica, eu so comento filmes. O que acontece aqui eh um blog pessoal que acabou tomando proporcoes maiores do que era pra ser. Eu n tenho pretencao de ser critica de nada eu so falo o que acheie, sim, vou expressar meu gosto pessoal nas postagens. E se engana quem acha que algum texto, ate mesmo os jornalisticos, nao tem pelo menos um pouco de opiniao propria.

      ps meu teclado esta desconfigurado

      Excluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.