sábado, 24 de julho de 2010

O Bem Amado

  • título original:O Bem Amado
  • gênero:Comédia
  • duração:01 hs 47 min
  • ano de lançamento:2010
  • estúdio:Natasha Filmes / Globo Filmes / Miravista
  • distribuidora:Buena Vista International
  • direção: Guel Arraes
  • roteiro:Cláudio Paiva e Guel Arraes, baseado na obra de Dias Gomes
  • produção:Paula Lavigne
  • música:Caetano Veloso, Mauro Lima, Berna Ceppas e Kassin
  • fotografia:Dudu Miranda e Paulo Souza
  • direção de arte:Claudio Amaral Peixoto
  • figurino:Claudia Kopke
  • edição:Caio Cobra
Acabei de assistir esse mais novo promissor clássico do cinema nacional, e precisei abrir uma brecha na minha listinha que venho seguindo para comentar por ter muito o que falar dele.
Zeca Diabo mata o prefeito de Sucupira, o que faz ter início uma disputa entre Odorico Paraguaçu e Vladimir pelo poder. Paraguaçu consegue o cargo e passa a abusar desse, enquanto a oposição formada pelo jornal da cidade faz de tudo para derrubá-lo. O maior sonho de Paraguaçu é inaugurar o cemitério da cidade, mas ninguém morre. Em paralelo a procura do prefeito por um difunto há as irmãs cajazeiras na disputa pelo posto de primeira-dama. 
Como já deve ser sabido pela maioria, esse filme teve inspiração na mesma obra que gerou a novela de grande sucesso homônima. A qualidade da gravação infelizmente fica muito próxima a de uma programação da Tv , como na maioria das vezes, o que faz perder o clima de cinema, mas nada que não faça valer a pena. Com um elenco desse calibre e uma história muito divertida acredito que não há como não gostar. Além da grande temática política que há no enredo, muito se dizendo da época da ditadura, mas mais ainda representando o estado atual da nossa sociedade.(Tenho pra mim que não foi atoa o lançamento em ano eleitoral)
A partir de agora SPOILER - fui assistir ao filme com minha mãe que acompanhou a novela, então aqui estão os comentários que ela fez ao final:  As irmãs cajazeiras não tinham caso com prefeito elas só davam em cima dele e brigavam entre si por isso; Dulcinéia não se casa com Dirceu Borboleta, nem engravida, muito menos morre; Zeca Diabo tinha papel muito importante na trama da novela, o que não acontece no filme onde ele fica bem apagado; e por fim Dirceu Borboleta era cheio de manias e tiques nervosos.

CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha Técnica: IMDb

Um comentário:

  1. Esse é outro que quero mto assistir. E até que faz sentido a comparação com programa de Tv, pelo q sei o Guel trabalha muito mais com direção de programas televisos do q com cinema.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.