segunda-feira, 10 de outubro de 2016

A Turba

título original: The Crowd
gênero: Drama, Romance
duração: 01h 38 min
ano de lançamento: 1928
estúdio:  Metro-Goldwyn-Mayer (MGM)
direção: King Vidor
roteiro:  King Vidor, John V.A. Weaver, Joseph Farnham, Harry Behn
fotografia: 
Henry Sharp


Quando John Sims nasce seu pai acredita que ele fará a diferença no mundo. Quando adulto ele se muda para Nova York buscando por seus sonhos, acaba se casando, tendo filhos, porém, depois de 5 anos as coisas não estão saindo como pensou.
A história é comum até demais. Na verdade é a história de vida da grande maioria da população - daquele tempo até os dias atuais. Quando jovens sonhamos com grandes futuros e acabamos caindo dentro de um padrão frustrante.
O mais interessante nessa produção é a forma como o diretor conseguiu transformar uma história sem reviravoltas curiosas em uma trama com uma sutil crítica à sociedade e uma grande identificação do público.
O tratamento da população como uma criação de gado, padronizada, passiva e desinteressante fica bem claro nas escolhas de ângulos, conduções de câmera e grafismos construídos de diversas formas. Transformando desde mesas milimetricamente distribuídas até uma plateia mostrada de cima formando uma única imagem.
James Murray, mesmo ainda em início de carreira, mostra logo a que veio. Ainda que se tratando de um filme mudo todas as suas cenas ficam claras, sem necessidade do complemento de texto. Principalmente em uma cena envolvendo uma tragédia, com certeza muito chocante na época e ainda muito incômoda nos dias atuais.
Talvez a trama possa parecer um pouco enfadonha, mas não é assim a vida em sociedade onde os indivíduos funcionam como máquinas? 

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Poster e Ficha Técnica: IMDb

Nenhum comentário:

Postar um comentário