sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Vidas Secas

gênero: Drama
duração: 01h 43 min
ano de lançamento: 1963
estúdio: Luiz Carlos Barreto Produções Cinematográficas
direção: Nelson Pereira dos Santos
roteiro:   Nelson Pereira dos Santos, Graciliano Ramos
fotografia: Luiz Carlos Barreto, José Rosa

Fabiano, Vitória, seus dois filhos e a cachorra baleia peregrinam pelo sertão brasileiro tentando sobreviver.
O filme é baseado na obra, de mesmo nome, de Graciliano Ramos. Acho importante relatar minha experiência com o livro antes, para que tudo fique bem contextualizado. Esse livro foi leitura obrigatória na minha 6ª série e só posso afirmar uma coisa: não é texto para crianças de 12/13 anos. A única lembrança que tenho é que odiei e foi muito cansativo.

Voltando ao filme, Nelson Pereira dos Santos conseguiu fazer uma ótima releitura para o cinema desse clássico nacional. Temos aqui uma obra crua e realista que mostra de forma sincera as dificuldades do povo sertanejo. Tudo é retratado de forma tão natural que parece até ser apenas uma câmera acompanhando uma família de retirantes, e não uma ficção. 
A ausência de trilha sonora faz com que tudo fique ainda mais dolorido. Principalmente o clímax da história, envolvendo baleia.
Deixemos claro que os pontos que acabei de elogiar também pode tornar o filme um pouco arrastado e cansativo.

Não acredito que seja apenas obrigatório de assistir por se tratar de um divisor de águas no cinema nacional, mas por retratar de verdade uma parcela da realidade brasileira.
Quanto ao livro, fiquei com vontade de relê-lo após assistir ao filme.

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Poster e Ficha Técnica: IMDb


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.