terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Sufragistas

título original: Suffragette
gênero: Drama
duração: 106 min
ano de lançamento: 2015
estúdio: Ruby Films
direção: Sarah Gavron
roteiro: Abi Morgan
fotografia: Eduard Grau
direção de arte: Alice Normington

Baseado em fatos reais, o filme mostra a luta de mulheres inglesas, no começo do século XX, pelo direito ao voto. Tendo como ponto central Maud Watts, uma esposa e mãe comum que acaba se envolvendo aos poucos com o movimento sufragista, chegando ao ponto de ter que fazer escolhas difíceis.
Primeiro, completamente dentro do Teste de Bechdel.
Segundo, está aí pra lembrar a todas nós dessas mulheres que colocaram muito de suas vidas a perder ou em risco para que hoje nós tivéssemos direitos políticos.
Me faltam palavras para expressar o quanto me emocionei e senti uma compaixão absurda por essas figuras que poderiam ter vido minha bisavó.
No final há uma lista de quando os países foram liberando esses direitos: Brasil 1932, Suíça 1971, Arábia Saudita 2015. Não se trata de um filme antigo, "mimimi", é atual, relevante e muito importante.

É bacana ver como conseguiram casar um tema profundo, com as vidas pessoais das personagens e um dinamismo necessário as cenas de militância, não deixando nada superficial.
As atuações também são completas. Carey Mulligan vai aos poucos se transformando conforme se envolve com o movimento; pela primeira vez vejo Helena Bonham Carter em um papel um pouco mais sóbrio e contido, mas mesmo assim forte e decidido; Meryl Streep que eu achava que teria uma participação mais atuante e foi breve sua passagem, mas manteve sua figura altiva e de liderança.
Só sinto por tão poucos cinemas estarem passando, mesmo a sala de cinema estando lotada acho que mais pessoas deveriam ter acesso.

CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha Técnica: IMDb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.