quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Serra Pelada

gênero: Drama, Faroeste
duração: 2h
ano de lançamento: 2013
estúdio: Globo Filmes
direção:  Heitor Dhalia
roteiro:  Heitor Dhalia, Vera Egito
fotografia: Lito Mendes da Rocha

Década de 80, dois amigos - Juliano e Joaquim -  decidem tentar a sorte no maior garimpo a céu aberto do mundo: Serra Pelada. Porém, lá é uma terra sem lei, para sobreviverem e progredirem terão de deixar seus princípios para trás.
No começo do filme achei que não seria retratado da maneira real como as coisas aconteceram. Os dois amigos começam a progredir muito fácil, tudo dá muito certo. Até que o filme realmente começa, poder e ganância passam a subir na cabeça dos dois; violência, prostituição, bandidagem são - pouco a pouco - retratadas com mais realidade.
A forma como mesclam as cenas fictícias com as reais da época é muito interessante e valoriza muito a trama.
O elenco é outro ponto super forte. Júlio Andrade, Juliano Cazarré e Matheus Nachtergaele estão em plena forma; agora, Sophie Charlotte me surpreendeu muito, completamente fora dos padrões que costuma seguir nas novelas e mostrando que é uma atriz mais completa do que o que vemos na TV.
Por fim, Wagner Moura - ator que não tenho mais dúvidas sobre sua versatilidade - superou minhas expectativas nesse filme, arrisco dizer que é sua melhor interpretação que já vi em um papel psicótico e ao mesmo tempo super controlado e sangue frio. A cena onde seu personagem é introduzido é incrível, "Precisava ter feito isso? Tinha necessidade nenhuma.." é uma daquelas frases de filme que ficam grudadas na cabeça. 
Agora, para mim, o ápice do filme é a cena do delírio da malária. Foi a medida necessária de arte que faltava. Acho que é uma das cenas mais bonitas que já vi no cinema nacional.

CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Ficha Técnica: IMDb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.