quinta-feira, 29 de outubro de 2015

A Força do Destino

título original: An Officer and a Gentleman
gênero: Romance, Drama
duração: 124 min 
ano de lançamento: 1982
estúdio: Lorimar Film Entertainment
direção:  Taylor Hackford
roteiro:  Douglas Day Stewart 
fotografia: Donald E. Thorin
direção de arte: Philip M. Jefferies

Quando criança Zack cresceu entre prostituas, brigas e um pai alcoólatra. Já adulto resolve se tornar um oficial da Marinha e enfrentará tudo e todos para alcançar seu sonho.
Talvez na época fosse um formato que vendesse, muito romance, muito nu desnecessário e um reavivamento do orgulho americano - ferido após o Vietnã.
Mas o que vi foi um filme que extrapola o clichê do começo ao fim e em alguns pontos ainda fica extremamente meloso.
Tenta ser motivacional mas não convence, tenta ter uma profundidade mas não rola.
Não vale nem pelo Richard Gere novinho.

CLASSIFICAÇÃO: RUIM

Poster e Ficha Técnica: IMDb

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

A Identidade Bourne

título original: The Bourne Identity
gênero: Ação, Suspense
duração: 119 min 
ano de lançamento: 2002
estúdio: Universal Pictures
direção: Doug Liman
roteiro: Tony GilroyW. Blake Herron, Robert Ludlum
fotografia: Oliver Wood
direção de arte: Dan Weil

Após ser encontrado à deriva no mar, um desconhecido acorda sem memória. Partindo de uma única pista - um chip instalado em seu quadril com dados de uma conta bancária - ele parte em busca de saber quem é.
Não dá pra levar como um filme de ação possível de acontecer (na verdade acho que poucos são) e é importante se não tudo parecerá uma grande galhofa.
Tendo isso em mente, é interessante ver que - apesar de desmemoriado - o corpo dele tem lembranças de sua vida que o ajudam nas melhores horas, como golpes e línguas estrangeiras.
O desenrolar da história também caminha muito bem, só achei que a parte da Treadstone ficou um pouco mal explicada, talvez venha a ser melhor trabalhado nas continuações que ainda não vi.
É um um bom entretenimento, acho que o enredo poderia ter rendido um suspense mais elaborado, mesmo assim vale a pena.

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Poster e Ficha Técnica: IMDb

terça-feira, 27 de outubro de 2015

O Caçador de Pipas

título original: The Kite Runner
gênero: Drama
duração: 128 min 
ano de lançamento: 2007
estúdio: DreamWorks SKG
direção: Marc Forster
roteiro:  David BenioffKhaled Hosseini
fotografia: Roberto Schaefer
direção de arte: Carlos Conti

Amir e Hassam são dois amigos que gostam de soltar pipas. Um dia após um torneio em que saem vencedores, acontece um fato que os afasta para sempre. Amir vai para os EUA e, 20 anos depois, volta a ter informações sobre seu amigo de infância.
Difícil falar de um filme baseado em um livro que gostei tanto.
Lógico que não é a mesma coisa, o livro se aprofunda mais nos personagens e é bem mais denso em relação a história.
Mas, mesmo o filme passando os fatos de maneira muito rápida, não deixa de incorporar os fatores principais. É um filme triste, assim como o livro, dói de tão triste que é.
A fotografia é muito bonita e teve o cuidado de falar na língua original nas partes em que convém e só colocar inglês quando estão nos EUA.
Vale assistir, mas leia o livro antes.

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Poster e Ficha Técnica: IMDb

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Within Our Gates

gênero: Drama, Romance
duração: 79 min 
ano de lançamento: 1920
estúdio:  Micheaux Book & Film Company
direção: Oscar Micheaux
roteiro: Oscar Micheaux

Sylvia, uma professora negra do sul dos EUA viaja ao Norte em busca de financiamento para que a escola não feche. Enquanto isso ela se envolve com um homem que acabará descobrindo tudo sobre seu passado.
Em qualidade visual o filme não traz nada que chame a atenção entre os padrões da época. Além disso o filme ficou desaparecido por um bom tempo, precisou ser restaurado e acabou perdendo algumas partes.
Mas o que torna esse filme um marco é o fato de ser o mais antigo dirigido por um afro-descendente e que conta, em uma época não favorável, sobre as repressões físicas, psicológicas e econômicas que viviam.
Mais ainda o fato de encontrarmos aqui um elenco composto por afro-descendentes de verdade e não por brancos com blackface.
Um roteiro corajoso, forte e contestador. Mais ainda por ter sido lançado apenas 5 anos após o racista "O Nascimento de uma Nação".

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Ficha Técnica: IMDb

filme completo:

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Lírio Partido

título original: Broken Blossoms
gênero: Drama, Romance
duração: 90 min 
ano de lançamento: 1919
estúdio: D.W. Griffith Productions
direção: D.W. Griffith
roteiro:  Thomas BurkeD.W. Griffith
fotografia: G.W. Bitzer

Um jovem chinês parte para Inglaterra com o intuito de disseminar a filosofia oriental, mas ao chegar lá acabando não concretizando seus sonhos e virando um vendedor. Ele conhece uma jovem garota, explorada pelo pai, e por ela se apaixona; o que trará grandes problemas para ambos.
A trama é tão bem construída e envolvente que você esquece que está vendo um filme mudo (que para muitos é sinônimo de filme cansativo/arrastado).
Para a época em que foi filmado, é uma história até que muito densa - característica comum dos filmes desse diretor.
A dicotomia entre espaços em que a história se passa (casas de ópio/ porto) e o romance tão leve e puro é incrivelmente bem trabalhado.
Mas o que mais me chamou a atenção foi a fotografia do filme, que inova usando ângulos nada comuns na época.
Destaque para a cena em que o pai da menina quebra a porta: teria Kubrick se inspirado nela para criar a famosa cena de "O Iluminado" ?

CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha Técnica: IMDb

filme completo:

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

A Fotografia Oculta de Vivian Maier

título original: Finding Vivian Maier
gênero: Documentário
duração: 83 min 
ano de lançamento: 2013
estúdio:  Ravine Pictures
direção: John MaloofCharlie Siskel
roteiro: John MaloofCharlie Siskel
fotografia: John Maloof

Documentário desvenda a vida de uma das fotógrafas mais famosas da atualidade e, ao mesmo tempo, mais desconhecida.
A maneira como o trabalho dela foi descoberto e como trouxe um sucesso post mortem a ela parece história de ficção.
Gosto muito do trabalho dela, fui a exposição e fiquei impressionada com a delicadeza e profundidade com que registrava o cotidiano, a vida que transitava ou mesmo morava nas ruas.
Uma pena não podermos saber como ela desenvolvia seu trabalho, se havia algum método ou organização, mas é interessantíssimo ir descobrindo aos poucos a pessoa que era pelo relato de seus ex-patrões ou das crianças que cuidou.
Toda a aura de mistério que a envolve parece esconder algo traumatizante que tenha acontecido em sua vida e que provavelmente desencadeou a acumulação.
E mais interessante ainda é poder fazer um paralelo entre as obsessões dela com a que o documentarista acaba criando por querer saber sobre a sua vida.
O fluxo do documentário é ótimo pois acaba te intrigando e querendo, assim como o diretor, saber cada vez mais sobre ela.

CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha Técnica: IMDb

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Frida

título original: Frida
gênero: Drama, Romance
duração: 123 min 
ano de lançamento: 2002
estúdio: Handprint Entertainment
direção: Julie Taymor
roteiro:  Hayden Herrera, Clancy Sigal, Diane Lake, Gregory Nava, Anna Thomas
fotografia: Rodrigo Prieto
direção de arte: Felipe Fernández del Paso

Retrato da vida artística, familiar e emocional de um dos maiores nomes da história das artes do México: Frida Kahlo.
Essa mulher, além de ter um estilo de pintura único, tem uma história de vida sofrida e marcante. As cores e efeitos do filme seguem bem seu estilo.
Porém senti falta de uma imersão maior em seu trabalho, seu modo de criação e e evolução de sua arte.
A trilha sonora é incrível, dando o toque que faltava.
Não gostei muito foi da escolha de Salma Hayek para a personagem principal, não a considero uma atriz de muitos recursos e fiquei com a sensação de - por ser muito bonita- terem explorado muito visualmente a sexualidade de Frida, o que considero um pouco dispensável.
No todo, é uma boa escolha para conhecer a história dessa mulher marcante.

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Poster e Ficha Técnica: IMDb 

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Drugstore Cowboy

título original: Drugstore Cowboy
gênero: Drama, Policial
duração: 102 min 
ano de lançamento: 1989
estúdio:  Avenue Pictures Productions
direção: Gus Van Sant
roteiro: Gus Van Sant, James Fogle, Daniel Yost, William S. Burroughs
fotografia: Robert D. Yeoman
direção de arte: David Brisbin

Um quarteto de viciados vive as custas de assaltar drogarias para sustentar seu vício.

Pode ser considerado mais um filme sobre drogados, mas provavelmente foi um dos primeiros que tratou o tema de maneira tão crua.
O desenrolar dos fatos segue uma linha lógica que já se espera desse tipo de personagens, mas o final inova mesmo que trabalhando uma possibilidade tangível também.

O que mais me chamou a atenção foram as cenas em que o personagem principal está drogado, a maneira como ele via as coisas mesclava delírio e sutileza.
Dentro do gênero "junkie" prefiro "Requiem para um Sonho" e "Trainspotting", mais fortes e marcantes, mas esse é válido também.

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Poster e Ficha Técnica: IMDb

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Queimando Tudo

título original: Up in Smoke
gênero: Comédia
duração: 86 min 
ano de lançamento: 1978
estúdio:  Paramount Pictures
direção: Lou AdlerTommy Chong
roteiro: Tommy ChongCheech Marin
fotografia: Gene Polito

Uma dupla, que se conhece acidentalmente, se mete em várias aventuras ao saírem em busca de dinheiro e maconha. No caminho vão passando por várias festas e batidas policiais.
Não conhecia a dupla, muito menos o filme que chegou a mim pelo "1001 filmes para ver antes de morrer", mas foi uma experiência engraçada.
Para o meu gosto não é a melhor comédia do mundo, mas é indiscutível que faz rir.
Os dois estão entregues ao papel de maconheiros, os diálogos lentos e sem muito nexo dão o toque perfeito.

Quanto ao roteiro, se for prestar atenção não conta nada do começo ao fim; é uma série de acontecimentos nonsense em que a dupla se mete e escapa sem nem perceber.
Dá pra passar o tempo com a brisa desses dois. 

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Poster e Ficha Técnica: IMDb

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Mamonas Para Sempre

gênero: Documentário
duração: 84 min 
ano de lançamento: 2009
estúdio:  Tatu Filmes
direção:  Cláudio Kahns
roteiro: Diana Zatz Muss
fotografia: João Paves, Johnny Torres

O documentário retrata a carreira meteórica e rápida da banda, mas o mais interessante aqui - além das imagens inéditas gravadas pela própria banda - é a liberdade de familiares e produtores para falar sobre os integrantes.
Muitos podem considerar superficial, mas eu como fã (e criança na época em que tudo aconteceu) só me lembro de passar na TV as partes engraçadas e depois as cenas terríveis do acidente. Lembro bem do dia em que morreram, cheguei na cozinha estava passando na TV e eu fiquei paralisada sem entender direito o que tinha acontecido (quando morreram eu tinha 8 anos).
É bom ver uma parte da história do Utopia, de como o lado Mamonas deles foi descoberto e desenvolvido, a estrada, a batalha dos canais.
Mas melhor ainda é o documentário não explorar a morte deles e criticar o quanto as mídias em geral se aproveitou disso.
Não gostei muito dos efeitos animados e não sei se foi de propósito, mas as entrevistas recentes tem uma qualidade de imagem que me remete aos anos 90.
No todo é pura nostalgia e emoção para quem viveu.

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Ficha Técnica: IMDb

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Blackfish

título original: Blackfish
gênero: Documentário
duração: 83 min 
ano de lançamento: 2013
estúdio: Manny O Productions
direção: Gabriela Cowperthwaite
roteiro:  Gabriela Cowperthwaite, Eli B. Despres, Tim Zimmermann
fotografia: Jonathan Ingalls, Chris Towey

Neste documentário é retratado a vida dos treinadores do Sea World e suas baleias, principalmente Tilikum, uma orca que passou por mais de um parque e foi usado de reprodutor para todos os outros animais da franquia.
SeaWorld nunca foi um lugar prioridade entre os que tenho vontade de conhecer, mas depois de assistir a esse filme não quero passar nem perto.
A maneira como eles capturam os animais e os criam e tratam ignorando sua natureza e necessidades é de doer o coração.
Em paralelo vemos o "mal trato" aos treinadores. Apesar deles receberem um treinamento/lavagem cerebral, no fundo para os donos eles são descartáveis.

A linha de desenvolvimento da trama é muito boa, mesclando bem as informações ditas acima, mais dados sobre os parques e depoimentos de ex-funcionários.
Inércia não é algo que esse filme provoca, muito pelo contrário, o melhor seria que cada vez mais pessoas o assistissem.

CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha Técnica: IMDb

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Debi & Lóide 2

título original: Dumb and Dumber to
gênero: Comédia
duração: 109 min 
ano de lançamento: 2014
estúdio:  Universal Pictures
direção: Bobby FarrellyPeter Farrelly
roteiro:  Sean Anders, John Morris, Bobby FarrellyPeter Farrelly, Bennett Yellin, Mike Cerrone
fotografia: Matthew F. Leonetti
direção de arte: Aaron Osborne

Mais uma vez esses dois grandes amigos entrarão, sem querer, em uma grande aventura. Harry precisa de um transplante de rim, ele e Lloyd partem então atrás de uma filha ilegítima, recém descoberta, para que ela o ajude.
Não tem muito o que falar: é o primeiro filme 20 anos depois.
Roteiro, piadas e condução de trama são praticamente os mesmos do primeiro.
É sem noção e faz rir, nem que seja em apenas um momento? Com certeza.
Mas serve mais para os saudosistas de "Debi & Lóide - Dois idiotas em apuros" de 94.

Pura nostalgia sem novidade nenhuma.

CLASSIFICAÇÃO: REGULAR

Poster e Ficha Técnica: IMDb

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

A Cartada Final

título original: The Score
gênero: Ação, Policial
duração: 124 min 
ano de lançamento: 2001
estúdio:  Paramount Pictures
direção: Frank Oz
roteiro: Daniel E. TaylorKario Salem, Lem Dobbs, Scott Marshall Smith
fotografia: Rob Hahn
direção de arte: Jackson De Govia

Nick é um assaltante que sempre trabalhou sozinho e pretende largar a vida do crime e levar uma vida mais pacata. Mas Max, seu amigo e financiador lhe propõe um último trabalho em parceria com Jackie, um jovem talentoso e agressivo, para roubar um cetro francês valiosíssimo.
Com um desenvolvimento tenso e cheio de suspense, o roteiro poderia ter rendido mais se fosse mais trabalhado e aprofundado. Mesmo assim é uma trama que prende a atenção.
O que se destaca mesmo são as atuações de Robert De Niro, no nível ótimo de sempre, e Edward Norton dando um show, nos momentos em que finge ser deficiente não há um mínimo detalhe que não tenha sido construído com perfeição.
Por fim, o final que pode até soar clichê, me surpreendeu.

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Poster e Ficha Técnica: IMDb

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

O Caminho das Nuvens

gênero: Drama
duração: 85 min 
ano de lançamento: 2003
estúdio:  Luiz Carlos Barreto Produções Cinematográficas
direção: Vicente Amorim
roteiro:   David França Mendes
fotografia: Gustavo Hadba
direção de arte: Jean-Louis Leblanc

Romão, parte da Paraíba para o Rio de Janeiro de bicicleta, com sua esposa e seus 5 filhos em busca de um emprego que lhe pague um valor que dê para sustentar a todos.
Eu achava que seria um filme de superação, mostrando a raça de grande parte dos brasileiros que migram em busca de um sonho. Não que em parte não seja, afinal não é pra qualquer um fazer mais de 3 mil km de bicicleta, mas achei um pouco duvidoso de certa forma.
Romão, personagem de Wagner Moura, me parece no começo o que citei anteriormente, mas conforme o filme foi se desenrolando fui perdendo o respeito por ele. Carecia de um emprego e entendo que mil reais seria a melhor oferta para eles, mas vivia de favores e toda vez que aparecia algum trabalho que pudesse render pelo menos algo para sobreviver durante um tempo, recusava. Tanto pra ele como pra esposa.
O que era pra ser um homem corajoso e esforçado, acabou me parecendo alguém acomodado e preguiçoso. Fiquei com a sensação que, no fundo, o que ele queria não era um emprego e sim se livrar da família e viver como andarilho.
Acredito que o rancor do pai pelo filho mais velho poderia ter sido mais aprofundado, para mim faltou uma "explicação" para aquilo.
Por fim, quando finalmente chegam a seu destino, tem a cena final que me deixou um tanto frustrada.
Acho que criei uma expectativa completamente errada sobre esse filme.

CLASSIFICAÇÃO: REGULAR

Poster e Ficha Técnica: IMDb

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

O Profissional

título original: Léon
gênero: Ação, Suspense
duração: 110 min 
ano de lançamento: 1994
estúdio:  Gaumont
direção: Luc Besson
roteiro:  Luc Besson
fotografia: Thierry Arbogast
direção de arte: Dan Weil

Nova York. Um assassino profissional, Leon,  vê a família vizinha a seu apartamento ser assassinada e acaba abrigando a única sobrevivente da chacina, Mathilda. A menina de 12 anos então, em troca de ensinar Leon a ler e escrever, pede que a ensine a manejar uma arma para que possa vingar a morte de seu irmão de 4 anos.
O roteiro do filme poderia prometer muito. Temos aqui a soma de máfia italiana, polícia corrupta e um matador de aluguel que "adota" uma criança. Porém me pareceu que tudo foi passado muito superficialmente. Por exemplo, só fui identificar que a turma do Gary Oldman era de policiais quando esses apareceram no prédio oficial.
A relação entre Leon e Mathilda, beirando uma pedofilia, me deixou razoavelmente incomodada, acho que esse envolvimento "amoroso" entre eles poderia não ter sido trabalhado ou ter sido mais num sentido paternal.
O que faz valer mesmo a pena são as atuações de Natalie Portman e Gary Oldman. A primeira já mostrava aqui a grande atriz que se tornaria, a menina destrói em todas as cenas. Já Gary Oldman está em um nível de alucinação que nunca o havia visto, talvez um pouco caricato mas mesmo assim interessante.
Por fim, talvez valha a pena ver também pela clássica cena do: EEE-VERY-OOOOOOOONEE!

CLASSIFICAÇÃO: REGULAR

Poster e Ficha Técnica: IMDb

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

O Aborto dos Outros

gênero: Documentário
duração: 72 min 
ano de lançamento: 2008
estúdio:  Olhos de Cão Produções Cinematográficas
direção: Carla Gallo
roteiro:  Carla Gallo

Temos aqui um documentário que relata os processos de aborto no Brasil: legais, ilegais, por causa de um estupro ou de uma má formação.
O roteiro trabalha muito bem a maneira como essas mulheres se relacionam com seus sentimentos, a maternidade, a intolerância.

Considero que temos aqui uma produção neutra, que conta histórias de pessoas que tiveram que passar pelo procedimento e as humaniza, mostrando suas razões e não aquele monstro que muitas pessoas imaginam.
Paralelamente há depoimentos de médicos, explicando a parte técnica, científica e até mesmo de saúde pública, fazendo um paralelo com as nossas leis e como as coisas poderiam ser se fossem diferentes.

Um único ponto bem ruim do documentário é o áudio, em muitos momentos é bem difícil entender o que as entrevistadas falam, em uma especificamente quase não entendi o que dizia, uma legenda poderia ter ajudado.
No todo, é um bom material para quem está disposto a questionar e debater o assunto pensando de maneira mais coletiva.

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Ficha Técnica: IMDb

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Boyhood: Da Infância à Juventude

título original: Boyhood
gênero: Drama
duração: 165 min 
ano de lançamento: 2014
estúdio:   IFC Productions
direção: Richard Linklater
roteiro:  Richard Linklater
fotografia: Lee Daniel, Shane F. Kelly
direção de arte: Rodney Becker

O filme acompanha a vida de um casal de pais divorciados e seus dois filhos durante 12 anos e como a relação entre eles foi se desenvolvendo.
Muitos podem considerar o tema meio batido. Realmente relações familiares, separação, adolescência podem já ter sido trabalhado muitas vezes, mas não desse jeito.
O trunfo do filme é ter levado 12 anos para ser filmado? Sem dúvida. Pode até parecer para alguns um motivo meio banal para ter recebido tanta atenção, para mim não foi.
O diretor conseguiu pensar fora da caixa ao desenvolver esse filme e, mais ainda, conseguiu um comprometimento de toda a equipe nunca vista antes. Acho que pode ser considerado um esforço até maior alguém se sujeitar a um filme desses do que ter que emagrecer/engordar horrores para interpretar um papel.

Essa proposta foi muito arriscada de várias formas possíveis, mas a que mais fiquei pensando ao assistir foi: e se acontecesse algo com algum dos atores principais entre um ano de filmagem e outro, será que o projeto seria cancelado?
Uma coisa é certeza, ninguém pode falar que um personagem criança não parece nada com o mesmo adolescente ou adulto. :P 

Também não há dúvida da química entre os personagens, eles realmente construíram ali um sentimento de família.
Trilha sonora é de primeira linha e mesmo nela dá pra perceber a temporalidade de quando aquele pedaço foi filmado.
Destaque para o diálogo final de mãe e filho, extremamente emocional, e que acredito concluir muito bem tudo que aconteceu ali desde o começo.


CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO



Poster e Ficha Técnica: IMDb 


segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Guardiões da Galáxia

título original: Guardians of the Galaxy
gênero: Aventura, Comédia, Ficção-Científica
duração: 121 min 
ano de lançamento: 2014
estúdio:  Marvel Studios
direção:  James Gunn
roteiro:   James GunnNicole Perlman, Dan Abnett, Andy Lanning
fotografia: Ben Davis
direção de arte: Charles Wood

Peter Quill vive de caçar objetos valiosos e revendê-los. Após pegar uma esfera misteriosa acaba atraindo a ira de Ronan, um vilão perigoso e ambicioso. Para se safar acaba se juntando a um quarteto inusitado: Rocket - um guaxinim falante, Groot - uma árvore mutante, Gamora e Drax. Mas quando descobrem a real função da esfera precisarão unir forças para salvar a galáxia.
Só soube que existia essa HQ quando o filme foi lançado, por isso não me interessei de cara em assistir. Porém comecei a ouvir tanto burburinho sobre que fiquei curiosa.
O roteiro não tem nada de inovador para o setor de filmes baseados em quadrinhos, mas me surpreendeu por focar mais na comédia do que na ação.

Não acho que possa ser considerado o melhor filme da categoria feito até hoje, mas com certeza é o mais divertido. Entre eles e "Os Vingadores" acho que fico com eles.
Achei inusitado um filme que se passa em um futuro, em outra galáxia ter tantas referências aos anos 80, o que acabou sendo a cereja do bolo.

Com certeza é puro entretenimento do começo ao fim.


CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO



Poster e Ficha Técnica: IMDb 


sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Interestelar

título original: Interstellar
gênero: Drama, Ficção-Científica
duração: 169 min 
ano de lançamento: 2014
estúdio: Paramount Pictures
direção: Christopher Nolan
roteiro:  Jonathan NolanChristopher Nolan
fotografia: Hoyte Van Hoytema
direção de arte: Nathan Crowley

A Terra está chegando a sua exaustão com cada vez menos reservas naturais. Um grupo de astronautas é enviado em uma missão para buscar possíveis planetas ontem poderiam criar novas colônias. Cooper, um engenheiro que virou fazendeiro, aceita participar mesmo sabendo que poderá nunca mais ver seus filhos.
Li em muitos lugares falando que esse é um daqueles filmes que precisa assistir mais de uma vez para entender completamente. Não sei se teria disposição para isso.
A construção da trama em volta de temas como relatividade, buraco da minhoca, buraco negro, dimensões, é muito interessante e diria que até simples, afinal eu - leiga que sou - consegui acompanhar a história sem problemas entendendo bem o que estava acontecendo.
Quanto ao desenvolver do relacionamento familiar achei que poderia ser melhor trabalho. Quando vi o trailer achei inclusive que esse seria o tema principal e acabou se tornando o pano de fundo. Esperava algo que fosse me emocionar profundamente e acabei o filme sem ligação sentimental alguma. A ligação de Cooper com a filha é forte, mas parece não ser transmitida em todo seu potencial e o relacionamento com o filho é simplesmente negligenciado.
Também achei que poderia ser um pouco menos longo.
Os efeitos especiais são incríveis e, aliados a parte de ficção-científica fazem o todo valer a pena.

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Poster e Ficha Técnica: IMDb