domingo, 31 de maio de 2015

Zorba, o Grego

título original: Alexis Zorbas
gênero: Aventura, Drama
duração: 142 min 
ano de lançamento: 1964
estúdio:   Twentieth Century Fox Film Corporation
direção:  Mihalis Kakogiannis
roteiro:  Nikos KazantzakisMihalis Kakogiannis
fotografia: Walter Lassally

Enquanto espera para embarcar para Creta, escritor inglês conhece Zorba, um camponês grego que se propõe a trabalhar na mina que o inglês herdou. Chegando lá eles se hospedam no hotel de uma prostituta francesa e começam a se integrar com a comunidade local.
Sempre ouvi minha mãe falando muito bem desse filme, vi que ia passar na TV e resolvi assistir. Não me arrependi, mas estava esperando outra coisa.

O roteiro não parece desenvolver naturalmente. Ao mesmo tempo que tem momentos que tudo passa muito rápido, em outras nada acontece. Há uma certa crítica ao provincianismo e a posicionamentos antiquados, mas não aprofundado o suficiente.
O que me parece é que tudo foi construído para enaltecer Anthony Quinn. E o filme é todo dele, sua atuação é de primeira, suas danças; seu personagem é tão essencial que nas cenas em que não está presente o filme perde interesse.
No final, até minha mãe - que adorava o filme - ficou se perguntando porquê ela gostava tanto.

Vale para vê-lo, mas para isso talvez você terá que lidar com uma história que não te envolva tanto.

CLASSIFICAÇÃO: REGULAR

Poster e Ficha Técnica: IMDb

sábado, 30 de maio de 2015

Miss Potter

título original: Miss Potter
gênero: Drama
duração: 92 min 
ano de lançamento: 2006
estúdio:  Phoenix Pictures
direção: Chris Noonan
roteiro:  Richard Maltby Jr. 
fotografia: Andrew Dunn
direção de arte: Martin Childs

Baseado em fatos reais, o filme conta a vida de Beatrix Potter, autora de livros infantis famosos até hoje, a ascensão de sua carreira e os problemas em sua vida pessoal.
Roteiro é simples e, ao mesmo tempo que encantador, melancólico.
A fotografia é linda e suspeito ter sido inspirado no estilo de desenho de Beatrix - tons leves e pastéis que encaixam como uma luva no estilo de narrativa.
Ewan McGregor e Renée Zellweger interagem muito bem e formam um casal encantador.
Serve para conhecer a vida de uma figura conhecida, entretém e emociona.

CLASSIFICAÇO: BOM

Poster e Ficha Técnica: IMDb

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Eu, Robô

título original: I, Robot
gênero: Ficção Científica, Suspense
duração: 115 min 
ano de lançamento: 2004
estúdio:   Twentieth Century Fox Film Corporation
direção: Alex Proyas
roteiro:   Jeff VintarAkiva GoldsmanIsaac Asimov
fotografia: Simon Duggan
direção de arte: Patrick Tatopoulos

2035, robôs vivem em harmonia com humanos servindo a eles. Quando o cientista responsável pela evolução dos robôs é morto, um detetive que não gosta nada de novidades tecnológicas, é chamado para investigar o caso.
Filme para diversão. Não ache que vá ver aqui um "A.I.- Inteligência Artificial".
Como ficção-científica pode bater em muitas coisas que já foram trabalhadas na telona, muitos lugares-comum, mas como entretenimento cumpre muito bem sua função.
É divertidíssimo ver o personagem do Will Smith colecionando itens "antigos", mas não faz sentido a personagem de Bridget Moynahan - que deve ter uma idade próxima à dele - não saber mexer nos itens. Inclusive, acho essa atriz bem fraquinha.

O robô é muito carismático e fica naquele espaço entre mocinho-vilão durante toda a trama. Isso constrói um suspense interessante, meio clichê, mas que segura a história.
Vale pra passar o tempo, requer uma certa atenção mas não total.

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Poster e Ficha Técnica: IMDb

quinta-feira, 28 de maio de 2015

O Expresso de Xangai

título original: Shanghai Express
gênero: Drama, Romance, Aventura
duração: 82 min 
ano de lançamento: 1932
estúdio:  Paramount Pictures
direção: Josef von Sternberg
roteiro: Jules FurthmanHarry Hervey
fotografia: Lee Garmes, James Wong Howe

Estrangeiros atravessam a China de trem enquanto estoura a guerra civil. Shanghai Lily encontra na viagem uma antiga paixão, e usa de sua sedução para tirar o capitão das mãos de um malvado militar chinês.
Um filme para endeusar  Marlene Dietrich, ela tem toda a trama em suas mãos. Inclusive, nas cenas em  que não está presente o enredo perde um pouco o interesse.
Confesso que esperava um pouco mais, estava com a expectativa alta em relação a esse filme. Me pareceu que a história aconteceu aos trancos, nada acontecia e de repente tudo aconteceu.
Sei que na época o estilo de produção era bem diferente - inclusive adoro a pegada de film noir que há e como isso intensifica a dramaticidade da trama - mas senti muita falta de trilha sonora. Em várias cenas percebi que teria sido muito mais impactante se tivesse uma música ao fundo que acompanhasse a ação, suspense ou romance da cena.
Vale conhecer e tentar enxergar com os olhos da época.

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Poster e Ficha Técnica: IMDb

quarta-feira, 27 de maio de 2015

À Procura de Elly

título original: Darbareye Elly
gênero: Drama, Suspense
duração: 119 min 
ano de lançamento: 2009
estúdio:  Dreamlab
direção: Asghar Farhadi
roteiro:  Asghar Farhadi, Azad Jafarian
fotografia: Hossein Jafarian
direção de arte: Asghar Farhadi


Sepideh convida, para a festa de boas vindas a um amigo que está voltando da Alemanha, a professora de sua filha, Elly, na intenção de unir os dois. Porém, no dia seguinte, ela some misteriosamente e toda a viagem desanda.
Meu segundo filme iraniano, do mesmo diretor, que peguei sem querer passando na TV. Asghar Farhandi está começando a ganhar uma vaga da minha lista de favoritos.
É incrível como seus roteiros mostram as características tão diferentes da cultura regional, mas ao mesmo tempo desmistifica certos pré-conceitos e mostra como somos todos muito parecidos (confesso que a cena de homens e mulheres brincando de mímica juntos me espantou um pouco).
E a trama constrói um suspense e uma espera pelo final incrível. Quem é Elly? O que ela esconde? O que aconteceu com ela? Isso tudo só dá pra saber vendo o filme até o final.
Grandes atuações de todo o elenco só ajudam mais ainda a sustentar a história.

Se você ainda não teve essa experiência, rompa barreiras e experimente o cinema iraniano.

CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha Técnica: IMDb 

terça-feira, 26 de maio de 2015

O Aviador

título original: The Aviator
gênero: Drama
duração: 170 min 
ano de lançamento: 2004
estúdio:   Forward Pass
direção: Martin Scorsese
roteiro:  John Logan
fotografia: Robert Richardson
direção de arte: Dante Ferretti 

Baseado em fatos reais, o filme conta a história de Howard Hughes, um jovem órfão e milionário que investiu seus recursos na indústria do cinema e em sua maior paixão: a aviação.
Ótima parceria de Martin Scorsese e Leonardo DiCaprio. O último está em uma das suas melhores performances que já vi, enquanto o primeiro conseguiu incluir em um único filme Aviação, Biografia, História do Cinema, Tribunal e Doença - trabalhando todos os temas em sua totalidade.
Mas a parte que mais me chamou a atenção foi o desenvolvimento do T.O.C. de Hughes, como isso atrapalha sua vida  aponto de deixá-lo psicologicamente transtornado. E como DiCaprio conseguiu passar essa característica com muita veemência.Quanto ao filme em si, é uma super-mega produção e faz jus as características do personagem retratado.
Me arrependo de não ter visto esse filme antes.

CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha Técnica: IMDb

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Chinatown

título original: Chinatown
gênero: Drama, Suspense, Policial
duração: 130 min 
ano de lançamento: 1974
estúdio:  Paramount Pictures
direção: Roman Polanski
roteiro:  Robert Towne
fotografia: John A. Alonzo, Stanley Cortez
direção de arte: Richard Sylbert

Um detetive particular é contratado por uma mulher da alta sociedade para investigar seu marido. Porém, no meio do processo o homem é assassinado e o detetive se vê envolvido com gângsters.
Assisti uma vez, um pouco distraída. Tive que rever para entender a trama. Fica então o aviso de cara, não é um filme que te permite fazer outras coisas ao mesmo tempo, ele exige dedicação total.
O que me deixou mais envolvida ainda com o roteiro foi, como um roteiro que trabalha a crise hídrica em Los Angeles na década de 30/40, cabe muito bem ao que estamos atravessando agora em São Paulo.
Além disso, a maneira como a investigação vai se desenvolvendo você vai ficando mais envolvido com a trama e interessado em descobrir o que está por trás de tudo aquilo.
Faye Dunaway e Jack Nicholson interagem muito bem e seus personagens passam uma profundidade que não é inteiramente revelada pela história. Inclusive, Nicholson surge -para mim - pela primeira vez como galã, e preenche bem o cargo.
O filme é longo, e se você não estiver com saco para se dedicar completamente pode acabar não gostando. Sugiro que o deixe para um dia que estiver preparado.
CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha Técnica: IMDb

quinta-feira, 7 de maio de 2015

Irene, a Teimosa

título original: My Man Godfrey
gênero: Comédia, Romance
duração: 94 min 
ano de lançamento: 1936
estúdio:  Universal Pictures
direção: Gregory La Cava
roteiro:  Morrie RyskindEric Hatch, Zoe Akins, Gregory La Cava, Robert Presnell Sr. 
fotografia: Ted Tetzlaff

Durante um baile há uma brincadeira com metas, Irene a vence a cumprir a tarefa de levar um indigente até lá. O rapaz acaba virando mordomo da família da moça, um bando de milionários malucos, e ele ensinará uma lição a todos eles.
Comédia dos anos 30, aquele tipo leve mas com mensagens subliminares ao mesmo tempo (como o protegido da mãe que na verdade é seu amante).
Ao mesmo tempo existe uma crítica a vida na alta sociedade, como esses parecem viver sem nenhuma noção de como é o mundo na "vida real".
Com diálogos rápidos e bem construídos, não parece ser algo produzido há quase 80 anos atrás.
Beira o nonsense em alguns momentos e isso deixa tudo mais engraçado ainda.

Com certeza um filme atemporal.

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Poster e Ficha Técnica: IMDb

quarta-feira, 6 de maio de 2015

No Calor da Noite

título original: In the heat of the night
gênero: Suspense, Policial
duração: 109 min 
ano de lançamento: 1967
estúdio:  Mirisch Corporation
direção: Norman Jewison
roteiro:  Stirling SilliphantJohn Ball
fotografia: Haskell Wexler

Um policial encontra um importante empresário morto no meio de Sparta, uma cidade sulista dos EUA. Ao buscar o possível culpado encontra Sr. Tibbs na estação de trem, um negro bem vestido. Ao levá-lo como suspeito e encontrar em sua carteira uma grande quantidade de dinheiro, acredita ter encontrado o assassino.
Um filme que faz crítica a um comportamento muito recente, na época da filmagem e ainda hoje, o racismo. Estamos tratando aqui de um dos estados mais preconceituosos dos EUA, e tudo que é retratado ali não é mera ficção.
A linha do suspense de quem é o assassino pode ficar um pouco confusa em alguns momentos, mas o foco da trama não é esse.
Sidney Portier e Rod Steiger seguram as pontas do filme todo, a repulsa entre seus personagens no começo e a transformação disso em respeito, mesmo que enrustido, é muito bem construído.

Há alguns enquadramentos durante o filme que chamam atenção, sendo à frente dos padrões da época.

CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha Técnica: IMDb

terça-feira, 5 de maio de 2015

Philomena

título original: Philomena
gênero: Drama
duração: 98 min 
ano de lançamento: 2013
estúdio:  The Weinstein Company
direção: Stephen Frears
roteiro:  Steve CooganJeff Pope, Martin Sixsmith
fotografia: Robbie Ryan
direção de arte: Alan MacDonald


Jornalista recém desempregado, e sem saber o que fazer da vida dali em diante, encontra no caminho uma história que desperta seu interesse: uma mulher que teve seu filho tirado dela e agora busca reencontrá-lo.
Estou com esse filme parado aqui desde o Oscar retrasado, ontem passou no Telecine e resolvi finalmente ver, e me senti mal de não ter visto antes.
Que roteiro senhoras e senhores! O mais impressionante ainda é ser baseado em fatos reais, aí que vemos como a vida real muitas vezes supera a ficção.
Os conflitos entre um "intelectual" cético e uma senhora abandonada em um convento por ter engravidado ainda solteira geram diálogos marcantes. Choque entre posicionamentos, gerações e modos de viver a vida.
Judi Dench está em sua melhor forma e Steve Coogan dá o suporte perfeito para que a dupla leve o filme todo com muita facilidade.
Não estamos tratando de um clichê, é a vida real e é impressionante.

CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha Técnica: IMDb

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Selma

título original: Selma
gênero: Drama
duração: 128 min 
ano de lançamento: 2014
estúdio:  Cloud Eight Films
direção: Ava DuVernay
roteiro:  Paul Webb
fotografia: Bradford Young
direção de arte: Mark Friedberg


Baseado em fatos reais, conta a luta de Martin Luther King para garantir o direito a voto aos negros, o que culminou na histórica marcha de Selma a Montgomery.
Quem costuma acompanhar o Oscar sabe que esse filme ganhou na categoria Melhor Canção Original. Na minha opinião, foi a melhor apresentação do ano e o discurso dos responsáveis por ela foi de arrepiar.
Na época do Oscar eu ainda não havia assistido o filme, e essa apresentação me deixou muito empolgada para vê-lo. Pois finalmente consegui.
Filmes sobre conquistas de direitos costumam ser emocionantes, não foi diferente com esse.
Porém me pareceu que ficou faltando alguma coisa, acabei o filme com a sensação de que tinha caído de paraquedas no meio da história e que ela tinha acabado antes do clímax.

Talvez eu tivesse uma figura muito idealizada de Martin Luther King, mas na trama ele me pareceu uma figura menos forte e impactante do que eu tenho em mente.
Independente desses contrapontos que coloquei, o roteiro conta uma parte da história muito importante, e infelizmente ainda atual, com cenas fortes e difíceis de digerir.
Vale muito assistir, eu que estava esperando demais.

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Poster e Ficha Técnica: IMDb