quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Spartacus

título original: Spartacus
gênero: Ação, Aventura
duração: 197 min
ano de lançamento: 1960
estúdio:  Bryna Productions
direção: Stanley Kubrick
roteiro: Dalton Trumbo, Howard Fast, Peter Ustinov, Calder Willingham
fotografia: Russell Metty
direção de arte: Alexander Golitzen, Roger Forse

Spartacus é um homem nascido escravo que trabalhava em uma mina e foi vendido para um treinador de gladiadores. Depois de um tempo trancafiado nesse local é escolhido para uma apresentação particular, após a luta  se inicia uma rebelião da qual ele é o líder. Spartacus e seu grupo partem em busca de sua liberdade, mas no caminho encontrarão muitos obstáculos.
Achei a duração do filme muito longa, estamos falando de mais de 3 horas de história, não é pra qualquer um. Porém, ao mesmo tempo, trata-se de um épico, portanto, só poderíamos esperar algo desse tamanho.
A história conta de forma muito interessante um período da história da Roma pagã. As locações, fotografia e direção de arte são muito bem construídas, superando expectativas já que trata-se de um filme de 1960.
O elenco segura muito bem a trama, ainda com um leve pézinho nas décadas de 40/50, onde a interpretação era mais caricata e teatral - o que para mim é um ponto a favor. Kirk Douglas parece ter sido feito na medida para filmes do gênero, Tony Curtis está muito convincente - e novinho - no papel de um rapaz culto e inocente.

Mas uma coisa que me chamou a atenção - e aqui talvez seja um SPOILER - foi uma cena em específico: onde retratam a homossexualidade nessa época, com um diálogo cheio de metáforas (que na época foi censurado, mas muitos anos depois foi reincluído ao filme, tendo Anthony Hopkins dublando os diálogos de Laurence Olivier, que na época já havia falecido). O personagem Crassus, enquanto é banhado por Antoninus, pergunta a ele se costuma comer ostras e lesmas. Quando o rapaz afirma que lesmas não, ele pergunta se é por razões morais que não o faz e afirma comer ambas.
Por fim, a sequência final do filme é o toque emocional necessário para fechar a trama com chave de ouro.
Tenho uma relação 8 ou 80 com Kubrick e com certeza esse filme entrará para o lado positivo.


CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha Técnica: IMDb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.