quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

O Som ao Redor

gênero: Drama
duração: 131 min
ano de lançamento: 2012
estúdio: Hubert Bals Fund
direção: Kleber Mendonça Filho
roteiro: Kleber Mendonça Filho 
fotografia: Pedro Sotero, Fabricio Tadeu
direção de arte: Juliano Dornelles

O filme se passava em uma rua de classe-média em Recife. Uma milícia chega ao local oferecendo segurança particular. Para alguns isso traz tranquilidade, para outros tensão. Enquanto isso, uma dona de casa tenta lidar com os latidos do cão do vizinho.
Quem escolheu o filme disse ter ouvido falar bem, criei uma expectativa e me decepcionei.
O roteiro trás a ideia de uma parcela da população que vive amedrontada e ao mesmo tempo entediada, presa dentro de suas próprias casas. Qualquer som ao redor parece ser sinal de perigo. O que acabou me frustrando foi que, em vários momentos, cria-se um pré clímax mas esse acaba não acontecendo. Talvez a intenção fosse exatamente passar essa ansiedade nervosa de uma população arredia, mas acaba frustrando o telespectador. O bom é que ao final, quando você não espera mais nada acontecem coisas inesperadas.

Mas o que me incomodou mesmo foi o casal principal, a atuação deles me deixou nervosa. Parecia que os atores não tinham química nenhuma e estavam deixando isso passar para os personagens - que também era apáticos.
Foram duas horas beeeem longas, vale pra conhecer mais o cinema alternativo brasileiro, mas tem que ter paciência.

CLASSIFICAÇÃO: REGULAR

Poster e Ficha Técnica: IMDb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.