segunda-feira, 25 de agosto de 2014

A Princesa e o Plebeu

título original: Roman Holiday
gênero: Comédia Romântica
duração: 118 min
ano de lançamento: 1953
estúdio: Paramount Pictures
direção: William Wyler
roteiro: Ian McLellan Hunter, John Dighton, Dalton Trumbo
fotografia: Henri Alekan, Franz Planer


Uma princesa está cumprindo sua agenda, visitando vários países. Ao chegar em Roma, já muito cansada de seus compromissos tem uma crise nervosa. Interessada pelo mundo comum foge da embaixada e acaba conhecendo um jornalista interesseiro que, ao descobrir quem ela é, a ajuda a conhecer a cidade enquanto tenta uma reportagem exclusiva que poderá mudar sua carreira.
Filme bem água com açúcar, não entendam isso como uma reclamação, muito pelo contrário! Roteiro perfeito para entreter e alegrar o dia. Selo de qualidade comédias anos 50.
A trama te leva para um raciocínio que acaba te surpreendendo ao final. Pode ser considerado um conto de fadas, mas não é piegas.
Um fator que valoriza bastante é a locação real em Roma, em uma época em que a maior parte dos filmes tinham suas cenas "externas" feitas em estúdio, isso acarretou muito peso ao filme e em seu orçamento também.
Gregory Peck e Audrey Hepburn formam um casal muito bem construído, tanto que esse foi o filme responsável pelo estouro da carreira dela. Eddie Albert trás o respiro cômico a mais necessário.
Leve, agradável e divertido. Super recomendo!

CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha Técnica: IMDb

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

A Mão Que Balança o Berço

título original: The Hand That Rocks the Cradle
gênero: Suspense
duração: 110 min
ano de lançamento: 1992
estúdio: Hollywood Pictures
direção: Curtis Hanson
roteiro: Amanda Silver
fotografia: Robert Elswit
direção de arte: Edward Pisoni

Claire busca ajuda para cuidar de seus dois filhos e poder manter o trabalho. Encontra alguém que parece ser a babá perfeita, mas o que não sabe é que essa mulher na verdade busca vingança.
Filme com perfil para SuperCine, mas vale a pena. Suspense de primeira linha, de ficar atento da primeira a última cena.
Rebecca de Mornay te faz passar o filme todo a xingando e querendo entrar na TV para matá-la com suas próprias mãos.

Lógico que, para quem já viu muito filme do gênero na vida, muita coisa fica clara desde o começo, [SPOILER/] como: quando o ajudante com problemas mentais aparece na história já dá pra perceber que vai ter um peso importante na trama. [\SPOILER]
E tem outros pontos meio fora: a mulher assustou de ver o homem negro na janela de casa, e uma mulher loira desconhecida a aborda na rua e ela leva pra casa, apresenta toda a residência e contrata de cara? Meio racista, mas ignoremos.
Resumindo, é aquele tipo de filme que qualquer movimento suspeito, coma  mudança da trilha, vai te fazer agarrar o sofá e só soltar na hora que a tensão passar.

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Poster e Ficha Técnica: IMDb

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Um Método Perigoso

título original: A Dangerous Method
gênero: Drama
duração: 99 min
ano de lançamento: 2011
estúdio: Recorded Picture Company
direção: David Cronenberg
roteiro: Christopher Hampton, John Kerr
fotografia: Peter Suschitzky
direção de arte: James McAteer

Orientado por Freud, Jung começa a tratar uma jovem histérica. Enquanto se envolve com a moça, passa a ver suas teorias e ideias se afastarem das de Freud.
Não sei até que ponto o que é narrado aqui é real ou fantasioso, também não conheço o suficiente sobre psicanálise para acompanhar bem a trama, e essa é a ressalva que faço já de cara: o filme será muito mais interessantes para os que são da área, para os apenas interessados, como eu, ficará mais difícil acompanhar - mas não impossível.
O que me chamou mais atenção foi a atuação da atriz de filme de época: Keira Knightley. A acho boa mas ao mesmo tempo um pouco insossa, porém, nesse filme, a situação é outra. Do meio pra frente ela volta a ser o que sempre foi, mas no início, enquanto não curada, ela rouba completamente a cena com tiques e expressões corporais incríveis.
Quem sabe um dia estude um pouco sobre psicanálise, ai reassistirei para tirar mais proveito desse filme.

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Poster e Ficha Técnica: IMDb

sábado, 9 de agosto de 2014

Sangue Negro

título original: There Will Be Blood
gênero: Drama
duração: 158 min
ano de lançamento: 2007
estúdio: Miramax Films
direção: Paul Thomas Anderson
roteiro: Paul Thomas Anderson, Upton Sinclair
fotografia: Robert Elswit
direção de arte: Jack Fisk

No final do século XIX, Daniel é um mineiro de prata e pai solteiro que passa a investir na descoberta de petróleo. Ele recebe a informação de uma cidade construída em cima de um mar de petróleo e parte para lá. O único entretenimento do lugar é a igreja. Daniel construirá um império mas terá de enfrentar o pastor da cidade.
Clássico moderno. Acredito que nem preciso falar sobre Daniel Day-Lewis, esse cara destrói em qualquer papel que colocam em suas mãos, mas os "duelos" de atuação entre ele e Paul Dano fazem o filme todo valer muito a pena caso, por alguma loucura, não goste do resto da trama.
O magnata ateu em confronto com o cordeiro de Deus, são debates incríveis. Não só pelos personagens mas o que isso significa em uma escala maior, a metáfora que ambos representam.
Sem contar o fato de que ambos são anti-heróis, quase vilões, e você não consegue não ter carisma por eles.
A fotografia muito bem casada com a trilha sonora te amarram ao filme do começo ao fim. Você percebe que está para acontecer algo importante a partir da trilha, conforme ela cresce ou se modifica no decorrer da trama.
São mais de três horas de filme que passam sem que se perceba.

CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha Técnica: IMDb