quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

O Bandido da Luz Vermelha

gênero: Policial
duração: 92 min
ano de lançamento: 1968
estúdio: Urano Filmes
direção: Rogério Sganzerla
roteiro: Rogério Sganzerla
fotografia: Peter Overbeck, Carlos Ebert
direção de arte: Andrea Tonacci

Um marginal paulista, mais conhecido como Bandido da Luz Vermelha, deixa a comunidade em polvorosa ao cometer vários tipo de de crimes: desde estupro até assassinatos. Ele acaba se apaixonando por uma famosa prostituta.
Período mais experimental do cinema brasileiro. O roteiro narra de maneira diferenciada a história de uma figura real. Nada que traga clímax e revelações, mas também não é necessário que se tenha isso em todos as tramas.
O mais interessante é a nova linguagem que trazem: as sequências, a narração em tom jornalístico, o letreiro.
Por mais que a história exija uma certa excentricidade por parte dos personagens, Paulo Villaça me soou um pouco artificial.
Mesmo conseguindo ver a transformação que esse filme trouxe ao cinema nacional e tudo que ele representa e significa, acabou sendo um pouco cansativo e "porra louca" demais para mim.


CLASSIFICAÇÃO: REGULAR

Ficha Técnica: IMDb

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.