segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

O Sexto Sentido


título original: The Sixth Sense
gênero: Suspense
duração: 107 min 
ano de lançamento: 1999
estúdio: Barry Mendel Productions
direção: M. Night Shyamalan 
roteiro: M. Night Shyamalan
fotografia: Tak Fujimoto 
direção de arte: Larry Fulton 

Malcolm, um psicólogo infantil, tenta ajudar Cole, um garotinho de 8 anos que não consegue se entrosar na escola e tem crises de medo.
Se você é uma daquelas raras pessoas que ainda não conhece o final desse filme, assista fugindo de todos os spoilers possíveis te garanto que vai adorar. Se ainda não viu, mas sabe o final, o filme continua sendo bom mas perde metade de sua graça.
Pode parecer apenas um filme de suspense cheio de sustos com fantasmas, mas na verdade, os jogos psicológicos que acontecem durante o desenrolar do filme são muito bons.
É diferente ver Bruce Willis em um papel que não envolva muita violência e explosões, mas quem manda muito bem mesmo é o, na época pequeno, Haley Joel Osment.
Não vou me aprofundar muito pois posso acabar falando demais, só posso dizer que é um dos meus queridinhos e que revolucionou a cena do cinema na época em que foi lançado. M. Night Shyamalan não anda em uma fase muito boa, mas ele sabe como fazer suspenses de qualidade.

CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha Técnica: IMDb


domingo, 30 de dezembro de 2012

A Fita Branca


título original: Das weiße Band - Eine deutsche Kindergeschichte
gênero: Drama, Suspense
duração: 144 min 
ano de lançamento: 2009
estúdio: X-Filme Creative Pool, Wega Film
direção: Michael Haneke
roteiro: Michael Haneke
fotografia: Christian Berger
direção de arte: Christoph Kanter

1913, em um vilarejo protestante da Alemanha, estranhos acidentes passam a acontecer. Enquanto tenta-se esclarecer os acontecimentos, a história dos moradores do vilarejo é contado.
O filme se passa as vésperas da 1ª Guerra Mundial. Li em algum lugar que o roteiro tentava mostrar a origem do nazismo, não consegui enxergar isso no filme, mas confesso que não o o entendi muito bem. Não que seja um filme ruim, mas é muito denso e talvez mais longo do que o necessário.
É um filme pesado, a suposta comunidade "boa" cheia de podres em suas intimidades faz com que você chegue ao final mentalmente cansado.
Falando em final, provavelmente quando terminar você vai se perguntar: "acabou?"

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Poster e Ficha Técnica: IMDb


sábado, 29 de dezembro de 2012

A Vida No Paraíso


título original: Så som i himmelen 
gênero: Drama
duração: 132 min 
ano de lançamento: 2004
direção: Kay Pollak

Um maestro muito famoso volta ao povoado onde cresceu para se recuperar de um ataque do coração. Para ocupar seu tempo, acaba se envolvendo com o coral da igreja.
Filme sueco que trata de como demônios do passado podem influenciar o futuro e da relação do homem com a arte e de como essa muda o modo como as pessoas viam e viviam suas vidas.
Não é um filme entretenimento, e sim arte. Daqueles que algumas cenas podem até não fazer muito sentido, mas no todo tem uma lógica.
Achei muito bonito, principalmente a fotografia e a relação quase carnal que o maestro tinha com a música. Porém não é um filme fácil, já aviso. 

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Poster e Ficha Técnica: Interfilmes


sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

As Duas Faces de Um Crime

título original: Primal Fear
gênero: Suspense
duração: 129 min 
ano de lançamento: 1996
estúdio: Paramount Pictures
direção: Gregory Hoblit
roteiro: William Diehl, Steve Shagan, Ann Biderman
fotografia: Michael Chapman 
direção de arte: Jeannine Claudia Oppewall

Um arcebispo é morto a facadas, o grande suspeito é um rapaz de 19 que foi encontrado coberto de sangue da vítima. Um advogado se propõe a defender o rapaz, sem cobrar nada, pelo simples prazer de vencer e aparecer na mídia.
Pode ser que lá pelo meio do filme, assim como eu, você já saiba qual é o final, mas isso não tira nem um pouco o mérito da história. 
Eu, particularmente, adoro filmes que envolvam júri e toda aquela jogada mental de advogados para ganharem o caso; ainda mais se envolver distúrbios psicológicos. E esse filme se encaixa nessa categoria.
Richard Gere, como sempre, fazendo ele próprio: o tiozão bonitão, conquistador e super bem sucedido. O destaque, mais uma vez fica por conta de Edward Norton, sua face se transforma em cada cena ou até mais de uma vez na mesma cena.
Um ótimo suspense, que te prende na cadeira até o final, quando seu queixo provavelmente cairá.

CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha Técnica: IMDb

sábado, 22 de dezembro de 2012

A Origem dos Guardiões

título original: Rise of the Guardians
gênero: Animação
duração: 97 min 
ano de lançamento: 2012 
estúdio: DreamWorks Animation
direção: Peter Ramsey
roteiro: David Lindsay-Abaire, William Joyce 
direção de arte: Patrick Marc Hanenberger

Um grupo de guardiões protege todas as crianças do mundo: Papai Noel, Fada do Dente, Coelho da Páscoa e Sandman. Eles garantem a existência das lendas e da inocência infantil. Porém, Breu, pretende transformar tudo em pesadelo. Para ajudá-los a Lua envia um rapazinho chamado Jack Frost, que desconhece suas habilidades como guardião.
Um dos poucos filmes atuais feito especificamente para crianças, sem piadinhas de duplo sentido no meio para agradar aos pais que levaram seus filhos para assistir. Também é um desenho de final de ano, com aquele clima de esperança, com a vontade de reforças lendas e tradições.
O traço do desenho é bem bonito e foge um pouquinho dos padrões. Os personagens clássicos tem uma roupagem nova, fugindo do tradicional: Papai Noel com braços tatuados, coelhinho da Páscoa lutador, talvez na intenção de atrair mais a atenção das crianças de hoje em dia.
Uma ótima alternativa para quem tem filhos.


CLASSIFICAÇÃO: BOM

Poster e Ficha Técnica: IMDb


terça-feira, 18 de dezembro de 2012

A Outra História Americana

título original: American History X
gênero: Drama
duração: 119 min 
ano de lançamento: 1998
estúdio: New Line Cinema
direção: Tony Kaye
roteiro: David McKenna
fotografia: Tony Kaye 
direção de arte: Jon Gay Steele

Após a morte do pai, Derek busca consolo para dores em uma gangue de skinheads. Após cometer assassinato, vai preso. Três anos depois, ao sair da cadeia ele se vê na missão de mudar a cabeça do irmão, que está seguindo o mesmo caminho dele antes de ser preso.
Pare tudo o que está fazendo e vá ver esse filme se ainda não assistiu! Que roteiro!!! A visão do racismo de dentro de uma gangue, a maneira como esse pensamento é infiltrado na cabeça dos jovens, como eles passam por uma lavagem cerebral e como isso influencia suas vidas. 
As idas e vindas na cronologia da história vão revelando aos poucos o todo, não vou me estender muito no roteiro para não soltar spoilers.
Já vi muita cena hiper realista de cabeça estourando com tiro, de órgãos internos sendo retirados, mas posso dizer que algumas cenas bem mais "leves" desse filme me deixaram muito mais chocada, como o assassinato que Derek comete logo no começo.
E o que é Edward Norton nesse filme? A cada papel que o vejo interpretando mais respeito crio por sua carreira como ator. Sua expressão se transforma em questão de segundos! O que em um momento parece ser um badboy, no outro é um bobão.
Só assistam, por favor.

CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha Técnica: IMDb

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

A Vida Marinha Com Steve Zissou

título original: The Life Aquatic with Steve Zissou
gênero: Comédia
duração: 119 min 
ano de lançamento: 2004
estúdio: Touchstone Pictures
direção: Wes Anderson 
roteiro: Wes Anderson, Noah Baumbach
fotografia: Robert D. Yoeman 
direção de arte: Mark Friedberg

Steve Zissou é um explorador subaquático que tem um temperamento difícil e produz documentários sobre a vida nos oceanos. Ao perder seu parceiro de longa data, ter seu talento contestado e se deparar com um suposto filho bastardo, ele vê a oportunidade de produzir um épico, de tornar um grande pai e ainda vingara morte do amigo por um tubarão-jaguar.
Não achei tão interessante e engraçado como "Os Excêntricos Tenenbaums", mas tem lá seu charme. Wes Anderson produz aqui um filme com a mesma peculiaridade cinematográfica e uma fotografia/ direção de arte diferenciada.
Com quase o mesmo elenco que citei anteriormente, o roteiro parece mais enfadonho, apesar de manter as piadinhas sofisticadas. 
A quase total ausência de trilha sonora dá um toque a mais para as engraçadas aparições de Seu Jorge com seu violão.
Meio arrastado, meio bizarro, mas vale arriscar pra ver.

CLASSIFICAÇÃO: REGULAR

Poster e Ficha Técnica: IMDb

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Os Excêntricos Tenenbaums

título original: The Royal Tenenbaums
gênero: Comédia
duração: 110 min 
ano de lançamento: 2001
estúdio: Touchstone Pictures
direção: Wes Anderson 
roteiro: Wes Anderson, Owen Wilson
fotografia: Robert D. Yoeman 
direção de arte: David Wasco 

Um casal, após ter três filhos, resolvem se separar. Todas as crianças se tornam adultos bem sucedidos: um tenista profissional, um bem sucedido executivo e uma escritora renomada. Mas tudo isso é deixado de lado quando o pai reaparece decidido a reconquistar sua família.
Com certeza a primeira sensação com esse filme será de estranhamento. Se essa família fosse inteira levada a um psicólogo seriam caso de estudo por muitos anos. O roteiro destrincha as relações entre os membros da família e a personalidade de cada um.
Cada ator dá um toque especial ao seu personagem caótico, mas - por incrível que pareça - fiquei impressionada como Ben Stiller conseguiu me surpreender.
É aquele tipo de comédia que você ri bastante, internamente.
O estilo de fotografia e de narração me lembrou bastante "O Fabuloso Destino de Amélie Poulain".
Pra finalizar, acho que a melhor maneira de definir esse filme é usando a frase de um dos personagens: "Que interessante! Que bizarro!"

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Poster e Ficha Técnica: IMDb

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

O Homem da Máfia

título original: Killing Them Softly
gênero: Policial, Suspense
duração: 97 min 
ano de lançamento: 2012
estúdio: Plan B Entertainment
direção: Andrew Dominik 
roteiro: Andrew Dominik, George V. Higgins 
fotografia: Greig Fraser 
direção de arte: Patricia Norris

Jackie investiga o assalto a uma mesa de pôquer clandestina de altas apostas. Ele descobre que a máfia está envolvida e precisa descobrir como lidar.
Me interessei em assistir quando vi o trailer, me parecia um filme de máfia cheio de ironias, bem dinâmico. Quando resolvi assistir descobri que era exatamente o oposto. Muito chato e arrastado, confesso que até a última cena muita coisa ainda não estava fazendo sentido pra mim.
Sim, não precisa ser um filme de máfia com ação megalomaníaca, ainda mais que é um filme que retratada a máfia decadente dos dias atuais. Mas acredito que poderia ser trabalhado de outra maneira.
Mesmo assim, o paralelo que fazem entre a estrutura da máfia e a economia americana é bem interessante, principalmente porque o filme se passa bem na época da primeira eleição de Obama.
A trilha sonora é algo que faz valer a pena, uma ótima seleção de músicas e muito bem colocadas durante a trama.
A fotografia também é interessante, dedicar uma cena a visão de um usuário de heroína após injetar a droga foi uma ótima sacada.
Talvez na média final você acabe tirando uma nota mais pro positivo do que pro negativo como eu.


CLASSIFICAÇÃO: BOM


Poster e Ficha Técnica: IMDb


terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Mamãe é de Morte

título original: Serial Mom
gênero: Terror, Comédia
duração: 95 min 
ano de lançamento: 1994
estúdio: Polar Entertainment Corporation
direção: John Waters
roteiro: John Waters
fotografia: Robert M. Stevens
direção de arte: Vincent Peranio

Beverly é uma dona de casa e mãe perfeita, o que mais anseia na vida é ver seu marido e seus dois filhos felizes. Essa família de classe-média tipicamente americana se choca quando uma de suas vizinhas e está sofrendo assédio por telefone. O que não imaginam é que a culpada por isso é a mamãe e que, conforme outras pessoas ameaçam a felicidade de sua família, ela faz aumentar o número de mortos no bairro.
Ao mesmo tempo que beira os filmes B, trash, esse roteiro também trabalha uma forte crítica as famílias perfeitas americanas e o que esse status esconde.
Sanguinário e hilário essa é uma ótima opção pra quem procura um humor mais ácido.
Kathleen Turner ficou perfeita no papel, as transformações de suas expressões ao passar de mãe perfeita para serial killer são incríveis! 
Fazia tempo que não ria tanto, assistam!!

CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha Técnica: IMDb

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Gonzaga - De Pai Para Filho

gênero: Drama
duração: 120 min 
ano de lançamento: 2012
estúdio: Conspiração Filmes
direção: Breno Silveira
roteiro: Patrícia Andrade
fotografia: Adrian Teijido

Filme baseado na vida de Luiz Gonzaga, como começou e cresceu sua carreira, e sua relação com seu filho Gonzaguinha, também músico.
Do mesmo diretor de "Dois Filhos de Francisco", também tendo como temática um cantor popular que veio do sertão. Mas não crie preconceitos, ambos são filmes que valem a pena ser assistidos, esse mais ainda.
Diria que a biografia é apenas o pano de fundo para uma trama que trabalha um relacionamento complicado entre pais e filho. Por acaso é uma história real, mas trabalha esse conflito de gerações, gostos e opiniões, tudo potencializado por um filho que se sentiu a vida todo negligenciado pelo pai.
A trilha sonora é construída de uma maneira que acompanha o crescimento de Gonzaga, a tal ponto que chega um momento do filme em que só poderia tocar Asa Branca, e aí é difícil segurar a emoção.
O elenco não é muito conhecido mas segura muito bem as pontas, e a semelhança dos atores principais com seus retratados é incrível.

CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Ficha Técnica: IMDb

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Sindicato de Ladrões

título original: On the Waterfront
gênero: Policial 
duração: 108 min 
ano de lançamento: 1954
estúdio: Columbia Pictures Corporation
direção: Elia Kazan
roteiro: Budd Shulberg, Malcolm Johnson
fotografia: Boris Kaufman

Terry, um ex-boxeador, trabalha no porto e, junto de seu irmão, acaba se envolvendo com uma gangue que domina o sindicato. Após colaborar com o assassinato de um portuário, ele se apaixona pela irmã deste e passa a repensar suas atitudes e suas consequências. 
Não é atoa que esse filme ganhou 8 Oscar. A direção dá uma ótima fluidez a história, o roteiro questiona organizações sindicais e mostra a corrupção dentro dessas. 
A dualidade entre certo ou errado, moral e imoral, paz de espírito e peso de consciência, deixam toda a trama e a grande interpretação de Marlon Brando ainda mais profunda e bem elaborada.
Pode ser apenas um passatempo para alguns que assistem, mas com certeza tem muito mais coisa a se ver por trás dos panos dessa história do que apenas um filme de máfia.

CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha Técnica: IMDb