quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Laranja Mecânica


título original: A Clockwork Orange
gênero: Ficção-Científica, Drama
duração: 136 min
ano de lançamento: 1971
estúdio: Warner Bros. Pictures
direção: Stanley Kubrick
roteiro: Stanley Kubrick, Anthony Burgess
fotografia: John Alcott
direção de arte: John Barry 

Em uma Inglaterra do futuro, gangues de jovens dominam o cenário. Uma delas é liderada por Alex que, após praticar vários crime, é preso e levado para uma reeducação feita pelo Estado.
Como já disse em alguns outros filmes de Stanley Kubrick, tem uma pegada arrastada. Apesar da trilha sonora muito marcante, algumas cenas sem trilha se tornam cansativas (mas acredito que a intenção aqui seja incomodar).
Cheio de violência, sexo e análises da sociedade, com certeza é uma obra que marcou época. Mas, para mim, que assisti no Ensino Médio, não foi uma boa experiência. Sim, fiquei chocada, incomodada e irritada com tudo aquilo, sensações que - acredito eu - o filme tenha a intenção de provocar. Eu não estava preparada para lidar com o que vi, por isso acredito que precisaria assistir novamente, assim como fiz com "Clube da Luta". Por isso, pela primeira vez nesse blog , comentarei um filme sem classificá-lo ao final.
A cena da reeducação, em que os olhos de Alex são forçados a ficarem abertos, com aquela trilha sonora fortíssima, é tão impactante e incômoda que até gera no espectador um pouco de pena por aquele, que até momentos antes, era o grande vilão.
Tudo é muito forte e impactante nesse filme, mas ao mesmo tempo cansativo e arrastado. Assim como em "2001- Uma Odisséia no Espaço", eu consigo enxergar toda a revolução e inovação que trouxe ao cinema mundial e respeito a obra, mas não consigo me sentir atraída ou até "gostar". 

Poster e Ficha Técnica: IMDb

Obs.: o trailer na verdade é uma propaganda de uma edição em BlueRay do filme em comemoração aos 40 anos do filme, mas foi o melhor que achei. =P

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.