quinta-feira, 12 de julho de 2012

Bicho de Sete Cabeças

gênero: Drama 

duração: 74 min 
ano de lançamento: 2001 
estúdio: Buriti Filmes 
direção: Laís Bodanzky 
roteiro: Luiz Bolognesi, Austregésilo Carrano 
fotografia: Hugo Kovensky 

O relacionamento entra Wilson e Neto, pai e filho, é muito complicado. Ambos não se entendem, aceitam e nem ouvem o que um tem a dizer ao outro. Essa falta de compatibilidade dentro da família chega ao estopim quando o pai descobre que o filho está fumando maconha e o mando para um manicômio. 
Com certeza um dos meus filmes nacionais favoritos.
O choque de gerações cria uma trama tão densa, a criação que provavelmente o pai teve e passa para o filho, deixando de dar a devida atenção, carinho e ouvidos. As consequências que isso gera. Um filho que procura meios de confrontar ainda mais o pai para ver se isso o chama a atenção, e o pai reagindo da pior maneira possível.
O roteiro trata de relacionamentos, dos jogos psicológicos que as pessoas fazem umas com as outras. É um filme sobre a psicologia dentro das relações interpessoais.
A partir desse filme que comecei a realmente respeitar Rodrigo Santoro como um ator e não somente um galã.
Além do roteiro, todos o resto da produção também passa muita densidade e tensão. Não é um filme para se assistir em um dia em que não se esteja preparado.

CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Ficha Técnica: IMDb

Um comentário:

  1. Esse filme abriu muitas portas pro Santoro e merecidamente, grande atuação. Vale assistir Heleno, onde ele está muito bem também, mas é um pouco mais leve pelo assunto do futebol.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.