quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

A Casa Amaldiçoada


título original: The Haunting
gênero: Suspense
duração: 113 min
ano de lançamento: 1999
estúdio: DreamWorks SKG
direção: Jan de Bont
roteiro: David Self, Shirley Jackson
fotografia: Karl Walter Lindenlaub
direção de arte: Martin Laing, Jonathan Lee, Troy Sizemore

Duas moças e um rapaz são levados a uma casa bem fora do comum por um médico para servirem de experiência em um tratamento contra insônia. Todos se sentem muito atraídos pelo lugar, ao mesmo tempo em que são avisados que ninguém chega perto da mansão depois que escurece e começam a perceber que lá ocorrem acontecimentos bem estranhos.
Assisti quando tinha uns 12 anos, minha época em que só via filmes de terror e suspense. Pelo que me lembro, passei muito medo com esse filme, me assustei horrores - porque não se trata de um filme cheio de sangue, mas chio de fantasmas e forças sobrenaturais.
Hoje paro pra lembrar de algumas situações que ocorrem na história e percebo que, se o assistisse atualmente o máximo que aconteceria era eu morrer de rir.
O roteiro é superficial e a personagem boazinha ferra com o final.
Catherine Zeta-Jones só sabe fazer caras e bocas a história toda, fazendo a personagem da gostosona bissexual. Owen Wilson é o cara que entra nas roubadas, mas se safa de maneiras engraçadas. Lili Taylor é a boazinha mala que os fantasmas mais correm atrás. Até Liam Neeson consegue deixar a desejar.
Se você já é adulto, provavelmente irá achar um lixo, mas se está naquela fase de filmes de terror pode até ser uma opção.

CLASSIFICAÇÃO: REGULAR

Poster e Ficha Técnica: IMDb

Um comentário:

  1. Olá, assim como vc, assistia esse filme quando era guria, sempre passava no supercine. Confesso, que o assistia na madruga sozinha e tinha até certo medo. Dia desses revi e realmente achei muito bobinho, muitas coisas poderiam ter sido melhor abordadas e a mocinha ferra mesmo com o final. A ideia de colocar pessoas que não se conhecem numa situação assim poderia gerar confrotos melhores, esse tipo de situação me lembra aquele livro da Agatha Chistie "E não sobrou nenhum..." (O caso dos Dez negrinhos). ótima crítica. Adorei!!Já sou fã!

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.