terça-feira, 31 de maio de 2011

Free Willy 2

Título Original: Free Willy 2: the Adventure Home
Gênero: Aventura
Duração: 195 min
País: EUA
Ano: 1995
Direção:Dwight H. Little
Roteiro: Keith Walker, Corey Blechman, Karen Janszen, John Mattson

 Jesse reencontra Willy alguns anos depois de tê-lo libertado. Eles novamente vivem muitas aventuras juntos, principalmente depois de um vazamento de óleo que ameaça separar Willy das outras baleias.
O primeiro foi um sucesso, então por que não fazer um segundo não é mesmo? 
Não penso assim. Não que esse seja um lixo, continua com as temáticas interessantes do primeiro: amizade e meio ambiente. Mas não adianta, uma continuação nunca terá um sucesso e uma qualidade como o primeiro, principalmente por não haver mais aquele estranhamento pela novidade. A história já é manjada.
Dá para passar o tempo, até é divertidinho, mas nada demais.
CLASSIFICAÇÃO: REGULAR
Poster e Ficha Técnica: IMDb

Free Willy

Título Original: Free Willy
Gênero: Aventura
Duração: 112 min
País: EUA
Ano: 1993
Direção:Simon Wincer
Roteiro: Keith Walker, Corey Blechman

Uma baleia orca é capturada e levada para um tanque em um aquário da região. Sua única chance de escapar é contar com a amizade de um garoto.
História muito cativante e emocionante. Mostra bem o valor das amizades e, para a época, inova tocando em assuntos ambientais.
Um filme para a família assistir junto, mas nem por isso deixa de ser feito para todos. Vale a pena por tudo que com certeza esse filme significou na infância de muitos que hoje estão com 20 e poucos anos.

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Poster e Ficha Técnica: IMDb

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Robin Hood

Título Original: Robin Hood
Gênero: Animação
Duração: 83 min
País: EUA
Ano: 1973
Direção:Wolfgang Reitherman
Roteiro: Larry Clemmons, Ken Anderson, Vance Gerry, Frank Thomas, Eric Cleworth, Julius Svendsen, David Michener   

Robin Hood luta contra os altos impostos do príncipe João e tenta devolver o trono da Inglaterra ao rei Ricardo, além das grandes batalhas por um governo mais justo, ainda tenta conquistar o coração de Maria.
Animação da Disney, feito a mão, que conta essa clássica história através de personagens animais humanóides.
Como todo bom desenho antigo da Disney também tem várias partes musicais, o que dá um tom todo encantador a história. 
Não é um dos mais conhecidos do estúdio mas vale a pena assistir, história leve e agradável para entreter a criançada.

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Poster e Ficha Técnica: IMDb


domingo, 29 de maio de 2011

Animal

título original:The Animal
gênero:Comédia
duração:1 hr 30 min
ano de lançamento: 2001
estúdio: Happy Madison / Revolution Studios
distribuidora: Columbia Pictures / Sony Pictures Entertainment
direção: Luke Greenfield
roteiro: Tom Brady e Rob Schneider, baseado em estória de Tom Brady
produção: Barry Bernardi, Carr D'Angelo e Todd Garner
música: Teddy Castellucci
fotografia: Peter Lyons Collister
direção de arte: Domenic Silvestri
edição: Jeff Gourson e Peck Prior

Um rapaz, que sempre sonhou em ser policial, mas nunca teve porte pra isso, sofre um terrível acidente. Entre a vida e a morte um cientista o traz de volta à vida colocando nele pedaços de animais. Depois disso ele consegue virar um policial, mas seus órgãos resolvem dar sinais do instinto animal só nas piores horas.
Sério? É um Frankenstein do besteirol americano.
Tem Rob Schneider como ator principal, dá pra ser pior?
Gente, dá até tristeza no coração falar desse filme. o elenco é ruim, o roteiro é ruim, a fotografia é ruim, nada salva.
Só assista isso se for muito fã do gênero. De resto, fuja.
  
CLASSIFICAÇÃO: LIXO

Poster e Ficha Técnica: IMDb

sábado, 28 de maio de 2011

Todos os Cães Merecem o Céu

(All Dogs Go to Heaven, 1989)
Direção: Don Bluth, Gary Goldman, Dan Kuenster 
Roteiro: David N. Weiss (história e roteiro), Don Bluth (história), Ken Cromar (história), Gary Goldman (história), Larry Leker (história), Linda Miller (história), Monica Parker (história) 
Gênero: Animação
Origem: Estados Unidos/Irlanda/Reino Unido
Duração: 89 minutos

Um pastor alemão com um passado obscuro foge da cadeia e vai em busca de seu ex-parceiro de jogo que ficou rico de repente. Só que esse parceiro tem planos para tirá-lo de seu caminho o mais rápido possível. 
Desenho de animais um pouco fora dos padrões, os bichinhos não lá tão fofinhos e bonzinhos como de costume. Na verdade são bem dos malandros.
Mas isso não faz que perca seu valor, a história é boa e vale a pena.
Prepare-se para chorar muito.

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Poster e Ficha Técnica: CinePlayers

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Monty Python - A Vida de Brian

Título Original: Life of Brian
País de origem: Reino Unido
Gênero: Comédia
Ano: 1979
Duração: 94 min
Direção: Terry Jones
Roteiro: Graham Chapman, John Cleese, Eric Idle, Terry Jones, Terry Gilliam, Michael Palin

História de um homem que viveu na mesma época que Jesus e que lutou contra a opressão dos romanos. Porém suas atitudes foram confundidas com a de um possível "salvador da humanidade" e ele passa a ter de fugir de uma multidão de pessoas que acreditam que ele é o Messias.
O roteiro todo é uma sátira a religiões e a história do mundo.Alguns, por isso, o consideram de mal gosto. Eu sou da turma que ama. Esse filme costuma causar essa reação nas pessoas. Ou é 8 ou é 80 a impressão ao final. 
Um dos melhores filmes que já assisti, com humor de qualidade, inteligente, sutil e paspalhão ao mesmo tempo. Isso sim pra mim é comédia.
Assisti na faculdade, um professor que passou pra gente, acho que foi o de Ciência Política, lembro que eu estava passando mal de dar risada enquanto alguns colegas de sala ficavam conversando ou saíam da sala.
Por fim, acho o roteiro perfeito as interpretações de ótima qualidade, fica difícil detalhar quando você gosta do todo, né? A única coisa que posso dizer é: não deixem de assistir! Inclusive, assistam todos do Monty Python que conseguirem, principalmente esse e também "O sentido do Vida". os caras são gênios.

CLASSIFICAÇÃO: MARAVILHOSO

Ficha Técnica: IMDb

A Máquina

título original:A Máquina
gênero:Drama
duração:1 hr 30 min
ano de lançamento: 2006
estúdio: Diler & Associados
distribuidora: Buena Vista International
direção: João Falcão
roteiro: João Falcão e Adriana Falcão, baseado em livro de Adriana Falcão e em peça teatral de João Falcão
produção: Diler Trindade
música: DJ Dolores, Chico Buarque e Robertinho do Recife
fotografia: Walter Carvalho
direção de arte: Marcos Pedroso
figurino: Kika Lopes
edição: Natara Ney

Um rapaz, que cresceu acreditando ser filho do Tempo, resolve ir em busca do mundo para trazê-lo a sua amada, antes que ela resolva sumir pra ir atrás do seu sonho: virar atriz e "partir para o mundo".
A história se passa em uma cidadezinha do agreste nordestino, perdida no mapa. Todo o cenário é bem fantasioso, na verdade não só ele como a história em si.
Um homem que luta contra "o tempo" para poder trazer o mundo. É um roteiro super fantasioso, então não espere fatos reais envolvidos no meio meio da trama, nada ali é para parecer corriqueiro.
Com a temática voltada para o amor transformador e o poder de ir em busca dos sonhos, mesmo que pareçam impossíveis, não há como não se encantar por essa história mágica.
O elenco é de primeira, até mesmo Mariana Ximenes (que particularmente acho um pouco fraca) mandou muito bem nesse filme. 
Não teve muita repercussão no próprio circuito brasileiro, infelizmente, porque esse filme com certeza é um dos melhores já produzidos no Brasil. Lembro que só fiquei sabendo dele quando o assisti no Festival de Cinema Nacional do Cinemark que tem todo ano por R$2. Se não fosse por isso, teria perdido a chance de assistir essa obra prima.

CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha Técnica: IMDb

quinta-feira, 26 de maio de 2011

O Garoto que Podia Voar

Título Original:  The Boy Who Could Fly
País de Origem:  EUA
Gênero:  Aventura
Tempo de Duração: 114 minutos
Ano de Lançamento:  1986
Direção:  Nick Castle


Após a morte dos pais garoto vai morar com um tio alcoólatras que o trata com autista. Mas ele encontro apoio em uma bela garota que é sua vizinha e colega de escola.
Gente juro que vou tentar arranjar tempo pra ir ao cinema, mas por enquanto continua tendo que ser assim: Sessão da Tarde.
Acho esse filme um pouquinho pesado pra criança, pelo lado emocional mesmo. Morte dos pais, responsável pela criança alcoólatra, menino aparentemente autista, ou só transtornado pelo trauma mesmo. É uma carga emocional muito grande.
A história mostra bem como é importante as ligações entre as pessoas, como necessitamos de outras pessoas a nossa volta para viver bem.
É um filme bacana, mas o acho muito triste.

CLASSIFICAÇÃO: REGULAR
Poster e Ficha Técnica: InterFilmes

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Um Conto Quase de Fadas

Título Original:  The Beautician and the Beast
País de Origem:  EUA
Gênero:  Comédia
Tempo de Duração: 105 minutos
Ano de Lançamento:  1997
Direção:  Ken Kwapis


Um ditador precisa de uma professora de ciências para seus filhos, por engano o ministro do estado contrata uma moça que, na verdade, é professora de estética. Isso causa o maior rebuliço no palácio do ditador, principalmente entre os dois.
Comédia clássica do Sessão da Tarde.
Bem divertido e leve, é uma histórinha de paixão e mudanças interligando um país fictício que vive sob um regime ditatorial e uma mulher vinda do Queens, imagine só o choque de culturas.
Qualquer similaridade com o filme "Noviça Rebelde" não parece ser mera coincidência.

CLASSIFICAÇÃO: REGULAR
Poster e Ficha Técnica: InterFilmes

A Incrível Jornada

Título Original:  Homeward Bound: The Incredible Journey
País de Origem:  EUA
Gênero:  Infantil / Aventura
Tempo de Duração: 85 minutos
Ano de Lançamento:  1993
Estúdio/Distrib.:  Walt Disney
Direção:  Duwayne Dunham

Dois cachorros e uma gata são separados de sua família e deixados em uma fazendo. Decidem então partir em uma aventura por meio de uma reserva natural para retornar para casa e encontrar seus donos.
Filme clássico da Sessão da tarde, super entretenimento para a família e com animais espertões e que falam. Tudo pra dar errado certo? Errado. Por incrível que pareça aqui está um do gênero que deu certo.
Talvez entre, novamente, o fator emocional. Aiii minha infância! O quanto assisti esse filme quando era criança, vocês não tem idéia!
Mas voltando ao filme, acho que o diferencial nesse caso é que não é somente um filme de animais falantes, mas a história fala sobre amizade, parceria e cumplicidade. Tem moral e ensina alguma coisa para a criançada além de ser divertido.
É para se encantar e emocionar.
[SPOILER/] A cena que mais me lembro é quando o buldog se mete numa encrenca com um porco-espinho tadinho. [\SPOILER]

CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha Técnica: InterFilmes

terça-feira, 24 de maio de 2011

Fantasia 2000

Título no Brasil:  Fantasia 2000
Título Original:  Fantasia/2000
País de Origem:  EUA
Gênero:  Animação
Tempo de Duração: 75 minutos
Ano de Lançamento:  1999
Direção:  James Algar / Gaëtan Brizzi / Paul Brizzi / Hendel Butoy / Francis Glebas / Eric Goldberg / Don Hahn / Pixote Hunt

Da mesma maneira como no original, a música clássica é integrada com a animação de maneira esplendorosa.
Esse assisti sem o fator emocional, daí a diferença.
Vamos começar pelo fato que acho desnecessário remakes de filmes que fizeram sucesso ou continuações dos mesmos. Acredito que é só uma maneira de ganhar mais dinheiro e, muitas vezes acaba baixando o prestígio do original, da obra-prima.
Pra mim esse perdeu um pouquinho o respeito por isso, mas nada que me faça o achar ruim ou coisa parecida, só não acredito que alcançou a maestria do primeiro - talvez o fator emocional me influencie muito nesse ponto.
Música clássica de qualidade, totalmente linkada aos desenhos, ou seria ao contrário?
Minhas partes favoritas foram a dos Flamingos e a que, pasmém, inclui JAZZ como "clássico" e representa o gênero dentro da rotina de uma metrópole (sensacional).
Achei equivocada a escolha da animação em 3D para a parte do soldadinho de chumbo e reincluir o trecho do Mickey como aprendiz de feiticeiro. Cada um é cada um, para isso que Pato Donald está nesse filme fazendo muito bem o papel de Noé.
Acredito que a intenção dessa produção foi colocar aquela idéia genial dos anos 40 funcionando com as tecnologias dos anos 2000.
Vale muito a pena assistir, é de encher os olhos.

CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha Técnica: InterFilmes

Fantasia - 1940

título original:Fantasia
gênero:Animação
duração:2 hr 0 min
ano de lançamento: 1940
estúdio: Walt Disney Pictures
distribuidora: RKO Radio Pictures Inc. / Buena Vista Pictures
direção: James Algar, Samuel Armstrong, Ford Beebe, Hamilton Luske, Jim Handley, Norman Ferguson, T. Hee, Wilfred Jackson, Bill Roberts, Paul Sattersfield
roteiro: Joe Grant e Dick Huemer (sequências de orquestra); Lee Blair, Elmer Plummer e Phil Dike ("Toccata e Fuga em Ré Menor"); Sylvia Moberly-Holland, Norman Wright, Albert Heath, Bianca Majolie e Graham Heid ("Suíte Quebra-Nozes"); Perce Pea
produção: Walt Disney
fotografia: James Wong Howe e Maxwell Morgan
direção de arte: Ken Anderson, J. Gordon Legg, Lance Nolley, Yale Gracey, Herbert Ryman e Hugh Hennesy ("Sinfonia Pastoral"); Bruce Bushman, Curtiss D. Perkins, Al Zinnen e Arthur Byram ("Suíte Quebra-Nozes"); Robert Cormack ("Toccata e Fuga em Ré Menor"); H
edição: John Carnochian

Filme que integra a música clássica com formas bem criativas de animação.
Mitologia, história do mundo, contos de fada e de bruxa, expressionismo, surrealismo, gente é tudo num lugar só.
É obra de arte pura em todos o sentidos possíveis: gráfico, musical e sétima arte.
Só a grande Walt Disney, principalmente na época em que esse filme foi produzido, poderia ter uma idéia tão grandiosa.As grandes composições da música clássica transformadas, transpostas, transmitidas em formato de animação. Não é só trilha sonora, é parte do todo, é parte importante e indispensável da narrativa, é o tema principal.
Posso talvez estar exagerando, acredito que não. Mas se estiver é culpa do fator emotivo. Assisti muito esse filme quando criança, pequena mesmo por volta dos 5 anos, porque meu pai era uma apaixonado por música clássica. Essa então é minha base para tudo que conheço de cinema, talvez esse seja um dos meus grandes influenciadores a não gostar de qualquer porcaria que produzem. Afinal como uma pessoa que começou a assistir filmes como esse que vos falo, e tão nova (meu primeiro filme no cinema foi "O Rei Leão", mas acredito que o primeiro da vida tenha sido esse) pode aceitar qualquer outra produção meia boca que venha depois?
Sempre comentei muito desse filme pro meu namorado e um tempo atrás ele resolveu assistir, foi combo: o original e "Fantasia 2000" de uma vez só. Ele gostou, achou mesmo uma viagem, mas não tanto quanto eu. Por isso digo que você leitor, que ainda não viu, quando assistir pode não se apaixonar tanto quanto a blogueira aqui, mas não deixe de ver.
É uma viagem pela história da humanidade, da música, do cinema, e em partes do ácido - porque os caras foram tão gênios ao criarem esse filme que dá até a impressão de estarem sob efeito de "tóchicos".

obs.: um ponto que me faz acreditar que estou certa que esse filme é tudo que acho é que, na época, ele ganhou 2 Oscars honorários pelo trabalho inovador feito no filme.

CLASSIFICAÇÃO: MARAVILHOSO

Poster e Ficha Técnica: IMDb

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Com a Bola Toda

título original:A True Underdog Story
gênero:Comédia
duração:1 hr 37 min
ano de lançamento: 2004
estúdio: Red Hour Films
distribuidora: 20th Century Fox Film Corporation
direção: Rawson Marshall Thurber
roteiro: Rawson Marshall Thurber
produção: Stuart Cornfeld e Ben Stiller
música: Theodore Shapiro
fotografia: Jerzy Zielinski
direção de arte: Andrew Max Cahn
figurino: Carol Ramsey
edição: Alan Baumgarten e Peter Teschner

O dono de uma academia com uma clientela muito pequena, se vê em apuros quando o dono de uma rede gigante da área resolve comprar seue stabelecimento. Suas finanças só ajudam que o sonho do ricaço vire realidade. Para converter a situação eles resolvem entram em um campeonato de queimada que terá como prêmio exatamente o valor que precisam para saldar a dívida. Mas seu concorrente resolve entrar na disputa também.
Comédia pastelão. Besteirol americano. Quem costuma ler meu blog sabe o que acho do gênero. Aqui fica o aviso então, pra quem gosta do gênero, se quiser pare por aqui.
Vince Vaughn e Ben Stiller no mesmo filme. Isso já diz muito sobre o caminho que a história poderia tomar. Os dois só sabem fazer papéis em filmes do gênero, o primeiro até já tentou se aventurar em outros gêneros como Comédias românticas. Sem sucesso.
A história até poderia render um enredo bacana, mas as apelações para o humor de baixo nível estragam a idéia principal, como por exemplo aquele shortinho com enchimento, de verdade, qual a necessidade daquilo?
Quer rir e perder alguns neurônios, assista. Eu não recomendo. Dá pra assistir comédias, rir e ainda manter o intelecto em alta com outros filmes.

CLASSIFICAÇÃO: PÉSSIMO

Poster e Ficha Técnica: IMDb

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Os Três Mosqueteiros

título original:The Three Musketeers
gênero:Aventura
duração:1 hr 45 min
ano de lançamento: 1993
estúdio: Walt Disney Pictures / Caravan Pictures / One for All Productions / Wolfgang Odelga Filmproduktion GmbH / Vienna Film Financing Fund
distribuidora: Buena Vista Pictures
direção: Stephen Herek
roteiro: David Loughery, baseado em livro de Alexandre Dumas
produção: Roger Birnbaum e Joe Roth
música: Michael Kamen
fotografia: Dean Semler
direção de arte: Hertha Hareiter e Neil Lamont
figurino: John Mollo
edição: John F. Link
efeitos especiais:Buena Vista Imaging / Dream Quest Images

Os mosqueteiros do rei não mais existem por causa de um golpe planejado para obter o trono da França e matar o rei Luís XIII. Um jovem sonha em ser mosqueteiro mesmo assim e se junta a fiéis mosqueteiros do rei, lutando contra aqueles que tramam contra ele.
Clássico Tela Quente, Sessão da Tarde. =) Minha infância total. Fica difícil comentar esse tipo de filme, porque na época eu não tinha um olhar mais clínico sobre filmes e influencia muito aqui o fator emocional.
É estilo épico, bem fantasioso. Tem romance, aventura, comédia, fatores históricos, tem tudo.
Tem Charlie Sheen como galã bom moço! Não tá bom? heheh
Acho o figurino e a cenografia  muito bem montados também.
Enfim, é um dos meus queridinhos, pode até nem ser tanta coisa, mas não aceito que falem mal ok? Brincadeira gente, é muito importante que aqueles que assistiram sem o fator emocional influenciar comentem.

CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha Técnica: IMDb

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Tubarão

título original:Jaws
gênero:Terror
duração:2 hr 3 min
ano de lançamento: 1975
estúdio: Universal Pictures / Zanuck/Brown Productions
distribuidora: Universal Pictures
direção: Steven Spielberg
roteiro: Carl Gottlieb, baseado em livro de Peter Benchley
produção: David Brown e Richard D. Zanuck
música: John Williams
fotografia: Bill Butler
edição: Verna Fields e Steven Spielberg

Um tubarão branco gigante começa a atacar uma praia e se alimentar dos turistas. O prefeito quer abafar o assunto para que não chegue a mídia, mas o xerife se une a um pescador veterano e um ictiologista para tentar vencer o animal.
Temos aqui um dos maiores diretores da história: Steven Spielberg. Como bom grande diretor, consegue construir uma carreira fortalecida e com alguns pontos marcantes. No caso dele diria que é "E.T - O Extraterrestre", "Contatos Imediatos de Terceiro Grau" e esse filme que vos falo agora - na minha humilde opinião.
Deixemos claro uma coisa: não sou fã dele, simplesmente porque os roteiros que ele desenvolve "não fazem meu tipo" - principalmente sua preferência por sci-fi. Mas não é por isso que deixo de admirar sua contribuição para o cinema mundial.
A maior parte das pessoas, acredito eu, vê Spielberg como um diretor de ficção científica. Aqui temos uma obra que foge disso, mas não deixa de lado o fantasioso. 
Como bom filme de terror da década de 70, apesar de ser muito bem produzido paras possibilidades da época, com certeza deve ser considerado trash para os adolescentes de hoje. O personagem do ictologista é que dá o tom mais científico a história.
E o terror, ah o terror! Vemos aí talvez uma leve referência a Alfred Hitchcock, por que não? Aquele pânico tumultuado geral, muito próximo a "Os Pássaros".
Sem esquecer da trilha sonora que é um caso a parte. Você nem precisa ter assistido a esse filme pra saber que se escuta AQUELA música, tem um tubarão por perto. (Que acho bem similar a música principal de "Psicose" também)
Não é dos meus favoritos e não faz muito meu estilo como já disse. se é pra ver suspense/terror prefiro "apelar" para o grande mestre que acabei de citar. Mas sem dúvida alguma é um clássico e está nos anais do cinema. Vale pelo conhecimento da obra. Ou talvez você se apaixone por esse filme, quem sabe?

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Poster e Ficha Técnica: IMDb

Minha Vida Sem Mim

título original:Mi Vida Sin Mi
gênero:Drama
duração:1 hr 46 min
ano de lançamento: 2003
estúdio: El Deseo S.A. / My Life Productions Inc. Milestone Productions Inc. / SLU
distribuidora: Sony Pictures Classics / Warner Brothers / Imagem Filmes
direção: Isabel Coixet
roteiro: Isabel Coixet, baseado em livro de Nancy Kincaid
produção: Esther García e Gordon McLennan
música: Alfonso Vilallonga
fotografia: Jean-Claude Larrieu
direção de arte: Shelley Bottom
figurino: Katia Stano
edição: Lisa Robison


Moça de 23 anos, casada com duas filhas, que trabalha como faxineira noturna de uma universidade e mora num trailer no quintal da casa da mãe, descobre que está com câncer terminal e tem poucos meses de vida. Vai em busca então de realizar seus sonhos e planejar coisas que poderão facilitar a vida dos seus próximos depois que ela partir.
Hoje o dia tá pra drama né? heheh.. desculpa gente, mas é a ordem da minhas lista de assistidos no Filmow.
Do elenco só conhecia o Mark Rufallo, que apesar de normalmente fazer papéis bem dentro do mesmo padrão - pelo menos ele deixa com a mesma cara sempre, acho um bom ator.
Quanta ao roteiro, achei bem interessante, triste, mas fora do comum. Quem já pensou em como a vida será depois que morrer? Eu pelo menos não. E aqui vemos uma pessoa que, tendo de encarar a morte, resolve deixar as coisas "organizadas" pra ninguém ficar perdido com a sua falta e ainda resolver aqueles antigos sonhos.
Apesar de dar uma baita tristezinha no coração durante todo o filme, é uma história que prende a atenção. 


CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO


Poster e Ficha Técnica: IMDb


Meninos Não Choram

título original:Boys Don't Cry
gênero:Drama
duração:1 hr 54 min
ano de lançamento: 1999
estúdio: Killer Films / Independent Film Channel
distribuidora: Fox Searchlight Pictures
direção: Kimberly Peirce
roteiro: Kimberly Peirce e Andy Bienan
produção: John Hart, Eva Kolodner, Jeff Sharp e Christine Vachon
música: Nathan Larson
fotografia: Jim Denault
figurino: Victoria Farrell
edição: Tracy Granger e Lee Percy


Uma menina vive com uma identidade masculina em uma cidade rural dos EUA. Ela começa a namorar uma menina e a ter amigos com essa personalidade, o problema é quando descobrem sua verdadeira identidade sexual e uma monda de violência toma a cidadezinha.
Se você não tem uma base emocional muito boa, não assista esse filme. Ele é extremamente pesado, toca em assuntos ainda muito delicados na nossa sociedade e choca. Não foi feito para agradar a todos muito menos para entreter.
Sinceramente, achei ele tão pesado emocionalmente que não consegui acabar de assistir, parei no meio. Mas ainda tenho a intenção de assistir novamente, talvez em alguma hora que eu esteja mais tranquila.
Independente disso, o pouco que vi serviu para constatar uma coisa: Hilary Swank é uma das melhores atrizes da nossa geração. E você não precisa de muito pra comprovar isso, assista a esse filme e a "Menina de Ouro" que já terá certeza do que estou falando.
Ela está perfeita como transsexual, não só pela caracterização, mas nos gestos, intonação de voz, em tudo.
Recomendo que assista, para quebrar os tabus que tem em mente, para se emocionar e para tirar um pouco sua vida do marasmo.


CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO


Poster e Ficha Técnica: IMDb


Mogli - O Menino Lobo

(Jungle Book, The, 1967)
Direção: Wolfgang Reitherman 
Roteiro: Rudyard Kipling, Larry Clemmons, Ralph Wright, Ken Anderson, Vance Gerry 
Gênero: Animação/Aventura/Musical
Origem: Estados Unidos
Duração: 78 minutos
Tipo: Longa-metragem

Mogli é um menino que cresceu na selva e foi criado por uma tribo de lobos. Ao saberem da presença de um tigre resolvem levá-lo para uma tribo de humanos e pelo caminho ele vai conhecendo novos amigos e passando por ótimas experiências.
Um dos grandes clássicos da Disney, baseado em uma lenda bastante antiga.
Com um gráfico agradável e uma história cheia de lições, Mogli é uma ótima pedida pra criançada. Ensinamentos de como é importante sermos pessoas simples de coração, dar valor aos amigos e a nossa família, indepdente se é a de sangue ou não, estão ali pra mostrar para os pequenos como as coisas importantes da vida não podem ser compradas.
Super recomendo, até arrriscaria  dizer que esse filme é "necessário, somente o necessário, o extraordinário é demais!" =)
 
CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha Técnica: CinePlayers

quarta-feira, 18 de maio de 2011

A Colheita Maldita

título original:Children of the Corn
gênero:Terror
duração:1 hr 33 min
ano de lançamento: 1984
estúdio: Angeles / Cinema Group / Gatlin / Roach / Inverness
distribuidora: New World Pictures
direção: Fritz Kiersch
roteiro: George Goldsmith, baseado em estória de Stephen King
produção: Donald P. Borchers e Terence Kirby
música: Jonathan Elias
fotografia: Raoul Lomas
figurino: Barbara Scott
edição: Harry Keramidas
efeitos especiais:Makeup & Effects Laboratories Inc.

Um garoto pastor se muda para uma pequena comunidade onde consegue convencer as crianças a assassinarem todos os adultos. Um casal por acaso vai parar nesse cidade, percebem que está abandonada, mas logo são feitos de reféns pelas crianças da seita que usa do sangue humano para adubar a terra.
Clássico dos clássicos do terror. Hoje em dia pode ser considerado um trash, gênero B do terror, mas com certeza causou muito impacto na época em que foi lançado. Principalmente por ser baseado na obra do grande Stephen King.
Uma particularidade sobre esse filme: assisti quando tinha uns 12 anos, bem tarde da noite com uma prima que devia ter uns 10 anos na época. Estávamos nos borrando de tanto medo, quando olho pra trás tinha um ser com uma cara de velho toda enrugada baforando atrás de nós. Não sei como não assustei, mas fiquei quieta. Quando minha prima virou ela levou um susto TÃO grande que quase teve um treco. heheh no final das contas era minha madrinha com uma máscara, muito realista. Foi bem engraçado.
Voltando ao filme, assistam! Além de ser um clássico do gênero, com certeza renderá bons sustos e pulos no sofá.

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Poster e Ficha Técnica: IMDb

terça-feira, 17 de maio de 2011

O Júri

título original:Runaway Juri
gênero:Suspense
duração:2 hr 7 min
ano de lançamento: 2003
estúdio: New Regency Pictures
distribuidora: 20th Century Fox Film Corporation / UIP
direção: Gary Fleder
roteiro: Brian Koppelman, David Levien, Rick Cleveland e Matthew Chapman, baseado em livro de John Grisham
produção: Gary Fleder, Christopher Mankiewicz e Arnon Milchan
música: Christopher Young
fotografia: Robert Elswit
direção de arte: Scott Plauche
figurino: Abigail Murray
edição: William Steinkamp

Após a morte do marido, viúva resolve processar a empresa que ela considera culpada. Contrata um ótimo advogado, mas ele terá que enfrentar uma defesa especializada em escolher de forma criterioza o juri. O que ambos os advogados não esperavam é que um dos componentes do juri quer manipular o resultado e isso poderá sair caro.
O elenco é de peso, ninguém deixa a desejar, todos desempenham de maneira muito competente seus papéis.
O roteiro é extremamente bem elaborada. Uma rede de intrigas e trapaças de enxer os olhos. De verdade, achei cada segundo da história muito valioso para o todo, nenhum momento dispensável.
Assista e se delicie com essa história. Ah! E não pisque. ;)


CLASSIFICAÇÃO: MARAVILHOSO

Poster e Ficha Técnica: IMDb

segunda-feira, 16 de maio de 2011

O Enigma do Colar

título original:The Affair of the Necklace
gênero:Drama
duração:2 hr 0 min
ano de lançamento: 2001
estúdio: Alcon Entertainment
distribuidora: Warner Bros.
direção: Charles Shyer
roteiro: John Sweet
produção: Broderick Johnson, Andrew A. Kosove, Redmond Morris e Charles Shyer
música: David Newman
fotografia: Ashley Rowe
direção de arte: Jean-Michel Ducourty, Jean-Michel Hugon e Martin Kurel
figurino: Milena Canonero
edição: David Moritz

Pré Revolução Francesa. Uma mulher, que vive com uma família adotiva, tem suas origens em uma família nobre que foi deixada na miséria. Ela busca então retornar ao seu verdadeiro posto e sua riqueza, enfrentando intrigas e desonestidades que tem como centro da confusão um colar de diamantes.
Com pano de fundo a sociedade nobre e o clero da Idade Média, essa história se desenvolve formando uma rede de intrigas e suspense bem interessante, com certeza te prenderá à trama, nem se for só para tentar entender alguma coisa.
O elenco é de primeira, só atores consagrados e que merecem o respeito do público.
Com certeza será uma boa escolha de entretenimento com um roteiro curioso.
 
CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha Técnica: IMDb

No Ritmo da Dança

Título Original: Dance With Me
Gênero: Musical
Origem/Ano: EUA/1998
Duração: 126 min
Direção: Randa Hain

Um belo cubano trás uma nova energia ao estúdio de dança pelo qual é contratado por viver o sonho de dançar. Uma das instrutoras o encanta imediatamente. Mas apesar da paixão declarada por ele e renegada por ela, ambos aprendem muito juntos através da dança - ela apresentando pra ele a técnica, ele ensinando ela a sentir a música. O único impasse entre eles é ela desejar a volta ao posto de melhor competidora de dança de salão latina com outro parceiro sem ser ele.
A história é bem romântica e sem acrescentar muito, conheço filmes românticos (por mais que muito melosos) melhores que esse.
O elenco deixa um tanto a desejar, principalmente o casal principal - ambos não tem carisma muito menos química.
O que segura a história é a dança. Para aqueles que gostam, lógico. Como sou uma apaixonada por esse "esporte", consegui assistir até o final, se não fosse por isso diria que é bem ruinzinho.

CLASSIFICAÇÃO: REGULAR

Poster e Ficha Técnica: WebCine 
es


sexta-feira, 13 de maio de 2011

Mrs. Harris

título original:Mrs. Harris
gênero:Drama
duração:1 hr 35 min
ano de lançamento: 2005
estúdio: Number 9 Films / John Wells Productions / Killer Films / Scarsdale Pictures Inc.
distribuidora: HBO
direção: Phyllis Nagy
roteiro: Phyllis Nagy
produção: Chrisann Verges
música: Alex Wurman
fotografia: Steven B. Poster
direção de arte: Troy Sizemore
figurino: Julie Weiss
edição: Curtiss Clayton e Lee Percy

Um médico muito famoso é assassinado. A maior suspeita é a mulher com quem viveu durante 14 anos mas, quando começaram a pensar em casar, ele se apavorou e desistiu dos preparativos deixando a moça frustrada. 
Vale pela interpretação de Annette Bening. Os testemunhos de conhecidos e o julgamento conduzem a história até um final muito interessante.
Suspense policial, com um pouquinho de humor sarcástico, quem sabe.

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Poster e Ficha técnica: IMDb

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Karate Kid

título original:Karate Kid
gênero:Aventura
duração:2 hr 6 min
ano de lançamento: 1984
estúdio: Columbia Pictures Corporation / Delphi
distribuidora: Columbia Pictures
direção: John G. Avildsen
roteiro: Robert Mark Kamen
produção: Jerry Weintraub
música: Bill Conti
fotografia: James Crabe
figurino: Richard Bruno e Aida Swenson
edição: John G. Avildsen, Walt Mulconery e Bud S. Smith


Após mudar de cidade garoto, que não está nem ambientado no lugar, se apaixona por uma garota que namora um chefe de gangue. Quando o grupinho o começa perseguir ele é salvo por um mestre de arrtes marciais que vai, então, ensinar a ele tudo que sabe para se defender.
 Acho que o maior clássico de todos da Sessão da Tarde. E vale a pena! Um roteiro que passa a lição de superação, de acreditar em si mesmo.
Sr. Miagii é a peça chave da história com seus conselhos quase filosóficos.
Uma boa pedida de diversão e lição para a criançada.
E vamos lá: encera o chão, pinta a casa ...

CLASSIFICAÇÃO: BOM

Poster e Ficha Técnica: IMDb