segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Te Amarei Para Sempre

ítulo original:The Time Traveler's Wife
gênero:Romance
duração:1 hr 47 min
ano de lançamento: 2009
estúdio: New Line Cinema / Plan B Entertainment / Nick Wechsler Productions
distribuidora: New Line Cinema / Warner Bros.
direção: Robert Schwentke
roteiro: Bruce Joel Rubin, baseado em livro de Audrey Niffenegger
produção: Dede Gardner e Nick Wechsler
música: Mychael Danna
fotografia: Florian Balhaus
direção de arte: Peter Grundy
figurino: Julie Weiss
edição: Thom Noble
efeitos especiais:Rhythm and Hues / Tinsley Transfers 

Um viajante do tempo conhece uma garotinha em um de seus "passeios". Eles se tornam amigos e com o tempo, amantes. Depois de muitas idas e vindas do rapaz, eles acabam se casando, mas não é nada fácil para ela ter de conviver com a idéia de nunca ter certeza se seu marido estará por perto.
É baseado em um livro que não li, talvez a versão em papel seja melhor. Achei o roteiro muito confuso, o cara tem uma anomalia genética que o faz viajar no tempo e isso faz q as vezes o "eu" dele do passado ou futuro e do presente se encontrem, o que não é muito bem explicado. [SPOILER/] Por exemplo, ele faz uma vasectomia pois ele passou o gene para o bebê, que "viaja" antes de nascer e causa aborto toda vez que a mãe engravida, colocando a vida dela em risco. Mas aí o "eu" dele do passado aparece, pega a mulher dele e aí a gravidez acontece normalmente. Mas espera aí, se é ele próprio, por quê a versão do presente passa o gene e o do passado não? Sendo que quando a menina nasce ela tem o mesmo dom. [\SPOILER]
Para as românticas pode ser uma história "linda e de chorar", a trilha sonora até que deixa mais emocionante mesmo, mas pra mim foi uma história imprecisa e enfadonha.
Definitivamente não me convenceu, muito menos agradou.

CLASSIFICAÇÃO: RUIM

Poster e Ficha Técnica: IMDb

Um comentário:

  1. (Comentário recheado de spoilers)... CUIDADO...

    Gostos e gostos... no geral, eu discordo.

    O filme é confuso em retratar certas coisas mesmo (aliás, qual filme que envolva "viagens no tempo não seja"?).

    Contudo, acho legal quando o personagem viaja no tempo e revê sua mãe morta; quando sabe que vai morrem em breve e não tem controle algum sobre isso.Sem falar que ele é tão FDP, que de certa forma controla o aspecto emocional da sua "pessoa amada" desde a infância. Ele manipula a menina a gostar dele... aquilo não é amor.

    Não me considero romântico e analiso esse filme como uma obra que fala sobre o controle (ou não) que temos em nossas vidas. Sobre voltar no tempo (neste caso literalmente) e rever pessoas que nunca mais veremos. E esse tipo de coisa me toca. Vai ver porque o filme me remete certa nostalgia... em saber que pessoas mortas eu nunca mais poderei ver...

    Opinião minha, mas acho que você olhou demais para o copo vazio neste filme.

    P.S - eu gostei da obra, não a acho fantástica, mas achei bom.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.