terça-feira, 28 de setembro de 2010

Cães de Aluguel

  • título original:Reservoir Dogs
  • gênero:Policial
  • duração:01 hs 39 min
  • ano de lançamento:1992
  • estúdio:Live Entertainment / Dog Eat Dog Productions
  • distribuidora:Miramax Films
  • direção: Quentin Tarantino
  • roteiro:Quentin Tarantino
  • produção:Lawrence Bender
  • fotografia:Andrzej Sekula
  • figurino:Betsy Heimann
  • edição:Sally Menke
Para roubar uma grande quantia de diamantes um importante criminoso reune seis criminosos. Eles não se conhecem, e para manterem a identidade em sigilo cada um recebe o nome de uma cor. Porém quando vão executar a função, o local está lotado de policiais. Reunidos novamente no armazém onde era combinado o retorno, um está a beira da morte e surge a suspeita de haver um policial infiltrado, o que desencadeia mútuas acusações e deixa o ambiente cada vez mais tenso.
Como costumo ler por ai: Tarantino Motherfucker! Esse cara é genial! Cães de Aluguel é um dos filmes mais aclamados dele, e não é atoa, não é só por ser o primeiro longa produzido por ele; assumo que não é meu favorito, mas não há como deixar de ver a maravilha desse filme.
A fotografia, como sempre, encanta e te prende ao roteiro. A história se desenrola de uma maneira que quando percebe está com a cara quase grudada na tela de tanta empolgação.
Explorando bem a questão de como a violência, principalmente a criminosa, é insensível, insensata e cruel; mas tudo isso com a beleza de um pop art.
Destaque para a análise da música "Like a Virgin", e como essa seria uma analogia para "big dicks". 

CLASSIFICAÇÃO: ÓTIMO

Poster e Ficha Técnica: IMDb

2 comentários:

  1. eu tenho esse filme, muito bom, Michael Madsen atua muito bem, destaque pra cena em que ele tortura o policial, é uma cena forte mas ele manda muito bem.

    ResponderExcluir
  2. Eu amo Reservoir Dogs. Sem dúvida, este filme é catapultada para a fama pelo renomado diretor, como os críticos aplaudiram e até mesmo seus dias é considerado um filme de culto, no entanto nas bilheterias não foi muito bem. Dois itens que caracterizam muito é a participação de Steve Buscemi e, claro, o diálogo banal, em que os personagens masculinos estão engajados. Great!

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.