quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Zohan - um agente bom de corte

  • título original:You Don't Mess with the Zohan
  • gênero:Comédia
  • duração:01 hs 53 min
  • ano de lançamento:2008
  • estúdio:Happy Madison Productions / Relativity Media
  • distribuidora:Columbia Pictures / Sony Pictures Releasing
  • direção: Dennis Dugan
  • roteiro:Adam Sandler, Robert Smigel e Judd Apatow
  • produção:Jack Giarraputo e Adam Sandler
  • música:Rupert Gregson-Williams
  • fotografia:Michael Barrett
  • direção de arte:Toni Barton, John Collins e Marco Niro
  • figurino:Ellen Lutter
  • edição:Tom Costain
  • efeitos especiais:The Orphanage / Tinsley Transfers / Lola Visual Effects / Gentle Giant Studios / Stan Winston Studio
Adam Sandler interpreta um agente militar de Israel que forja sua morte para realizar um sonho: ser cabelereiro nos Estados Unidos, até ser descoberto por seus inimigos.
É típico de Sandler fazer comédias mais escrachadas e sem um teor mais inteligente, mas ele se superou com Zohan; sinceramente espero que no futuro ele sinta vergonha de ter feito esse filme.
Não perca seu tempo, se fizer isso vai sentir ódio de si próprio ao final.

Classificação: LIXO

Ficha técnica: IMDb

Era uma vez...

  • título original:Era Uma Vez...
  • gênero:Drama
  • duração:01 hs 58 min
  • ano de lançamento:2008
  • estúdio:Conspiração Filmes / Globo Filmes / Columbia Pictures
  • distribuidora:Columbia Pictures
  • direção: Breno Silveira
  • roteiro:Patrícia Andrade, com colaboração de Domingos de Oliveira
  • produção:Breno Silveira e Pedro Buarque de Hollanda
  • música:Berna Ceppas
  • fotografia:Dudu Miranda e Paulo Souza
  • figurino:Cláudia Kopke
  • edição:Eduardo Hartung
Dé e Nina, o rapaz da favela e a moça do Leblon, uma versão brasileira de Romeu e Julieta só que com tráfico, funk e praia. A história é apaixonante, as paisagens lindas, a crítica social explícita nos dois mundos que através do amor se chocam. Porém o final faz perder todo o crédito que a história foi ganhando durante o desenvolvimento, a cena é descabida dá a sensação de estar lá só para não cair em um final batido e para chocar quem assiste.
Assistam e depois me digam o que acharam.

Clasificação: REGULAR

Poster e ficha técnica: IMDb

Licença para casar

  • título original:License to Wed
  • gênero:Comédia
  • duração:01 hs 30 min
  • ano de lançamento:2007
  • estúdio:Warner Bros. Pictures / Phoenix Pictures / Proposal Productions / Robert Simonds Productions / Underground Films and Management / Village Roadshow Pictures
  • distribuidora:Warner Bros. Pictures
  • direção: Ken Kwapis
  • roteiro:Kim Barker, Vince Di Meglio e Tim Rasmussen, baseado em estória de Kim Barker e Wayne Lloyd
  • produção:Mike Medavoy, Arnold Messer, Nick Osborne e Robert Simonds
  • música:Christophe Beck
  • fotografia:John Bailey
  • direção de arte:Andrew Max Cahn
  • figurino:Deena Appel
  • edição:Kathryn Himoff
  • efeitos especiais:Animal Makers / Rocket Science VFX
Ben e Sadie estão noivos, ela sonha em casar na igreja onde cresceu e com o reverendo que sempre esteve na sua vida, Frank. Porém para poderem casar terão que passar por seu famoso curso preparatório de noivos, a partir daí o que deveria ser a concretização de um sonho vira um inferno.
Daqui um tempo com certeza esse filme estará passando na Sessão da Tarde, bem água com açúcar. Se o final seguisse um rumo diferente poderia ter se tornado um pouco mais interessante.

Classificação: RUIM

Poster e ficha técnica: IMDb

Sherlock Holmes

  • título original:Sherlock Holmes
  • gênero:Aventura
  • duração:02 hs 08 min
  • ano de lançamento:2009
  • estúdio:Wigram Pictures / Lin Pictures / Silver Pictures / Translux / Village Roadshow Pictures
  • distribuidora:Warner Bros. Pictures
  • direção: Guy Ritchie
  • roteiro:Michael Robert Johnson, Anthony Peckham e Simon Kinberg, baseado em estória de Lionel Wigran e Michael Robert Johnson e nos personagens criados por Arthur Conan Doyle
  • produção:Susan Downey, Dan Lin, Lionel Wigram e Joel Silver
  • música:Hans Zimmer
  • fotografia:Philippe Rousselot
  • direção de arte:James Foster, Nick Gottschalk, Matthew Gray e Niall Moroney
  • figurino:Jenny Beavan
  • edição:James Herbert
  • efeitos especiais:Double Negative / Plowman Craven & Associates / The Visual Effects Company
Sherlock Holmes é um detetive que conta com a parceria de seu amigo Watson para decifrar crimes no final do século XIX.
Poderia ter sido um dos melhores filmes de suspense policial dos últimos tempos mas não foi, por quê? Porque resolveram transformar um dos melhores detetives da literatura mundial em mais uma história de aventura cheia de lutas e explosões e com um protagonista tão acima do normal que descobre os mistérios a partir do nada, sem um raciocínio lógico a ser acompanhado.
A cenografia é bem legal, atores de qualidade, com uma base boa para o roteiro mas quase nada aproveitado. Decepção.

Classificação: REGULAR

Poster e fiche técnica: IMDb

Onde vivem os monstros

  • título original:Where the Wild Things Are
  • gênero:Aventura
  • duração:01 hs 41 min
  • ano de lançamento:2009
  • estúdio:Warner Bros. Pictures / Legendary Pictures / Playtone / Village Roadshow Pictures / Wild Things Productions
  • distribuidora:Warner Bros. Pictures
  • direção: Spike Jonze
  • roteiro:Spike Jonze e Dave Eggers, baseado em livro de Maurice Sendak
  • produção:John B. Carls, Gary Goetzman, Tom Hanks, Vincent Landay e Maurice Sendak
  • música:Carter Burwell e Karen Orzolek
  • fotografia:Lance Acord
  • direção de arte:Sonny Gerasimowicz, William Hawkins, Christopher Tandon, Lucinda Thomson e Jeffrey Thorp
  • figurino:Casey Storm
  • edição:James Haygood e Eric Zumbrunnen
Max, um garoto com muita imaginação, vem sendo deixado de lado pela família até um dia que briga com a mãe e foge de casa. De lá ele parte para uma ilha onde vivem monstros que precisam de um rei, e no qual ele se torna.
Não espere um filme infantil, muito menos sensato e racional; aqui você encontra um filme surreal e visto de dentro da cabeça de uma criança. Fotografia, roteiro, atuação, tudo muito bem elaborado e apaixonante.

Classificação: MARAVILHOSO

Poster e ficha técnica: IMDb

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Encontro de casais

  • título original:Couples Retreat
  • gênero:Comédia Romântica
  • duração:01 hs 53 min
  • ano de lançamento:2009
  • estúdio:Universal Pictures / Relativity Media / Stuber Productions / Wild West Picture Show Productions
  • distribuidora:Universal Pictures / UIP
  • direção: Peter Billingsley
  • roteiro:Vince Vaughn, Dana Fox e Jon Favreau
  • produção:Scott Stuber e Vince Vaughn
  • música:A.R. Rahman
  • fotografia:Eric Alan Edwards
  • direção de arte:Curt Beech e Clint Wallace
  • figurino:Susan Matheson
  • edição:Dan Lebental
  • efeitos especiais:Hammerhead Productions
Um casal que está prestes a se divorciar convence mais três casais amigos para irem com eles a um resort cheio de regalias para terem desconto. Só que chegando lá descobrem que precisam se sair muito bem nas terapias para poderem usufruir dos benefícios da ilha, ao mesmo tempo descobrem que do outro lado há o resort só para solteiros, o que vai causar problemas entre eles.
Um filme passatempo, para quando você está desocupado e não tem nada melhor para fazer.


Classificação: RUIM

Poster e ficha técnica: IMDb

Quanto mais quente melhor

  • título original:Some Like It Hot
  • gênero:Comédia
  • duração:02 hs 02 min
  • ano de lançamento:1959
  • estúdio:United Artists / Ashton Productions / Mirisch Company
  • distribuidora:United Artists
  • direção: Billy Wilder
  • roteiro:I.A.L. Diamond e Billy Wilder, baseado em estória de M. Logan e Robert Thoeren
  • produção:Billy Wilder
  • música:Adolph Deutsch
  • fotografia:Charles Lang
  • direção de arte:Ted Haworth
  • figurino:Orry-Kelly
  • edição:Arthur P. Schmidt
Dois músicos desempregados sem querer testemunham um assassinato em massa feito por gangsters, para fugirem desse problema se passam por mulheres para poderem viajar com uma banda feminina. Nesse grupo conhecem Sugar, Marylin Monroe, por quem um deles se apaixona e com quem vão passar por várias situações complicadas durante a história.
Filme engraçadíssimo cheio de tiradas espetaculares, Marylin fazendo papel de moça sexy e burra tira gargalhadas, além de Tony Curtis e Jack Lemmon que dão show de humor tanto quando estão de homens quanto - e principalmente - quando estão de mulheres.

Classificação: ÓTIMO

Poster e ficha técnica: IMDb

O grande ditador

    • Original: The Great Dictator / The Dictator
    • Gênero: Comédia
    • Origem/Ano: EUA/1940
    • Duração: 128 min
    • Direção: Charles Chaplin
     Com humor ácido em plena Segunda Guerra Mundial, Chaplin lança esse filme fazendo uma paródia não só com Hitler e os Nazistas, como com os ditadores no geral.
    Momentos como a disputa com as cadeiras de barbearia entre ele e a versão "chapliniana" de Mussolini, a dança do ditador com o Globo terrestre, e por fim seu discurso na posição de judeu confundido com o ditador, são emocionalmente marcantes e ao mesmo tempo engraçados. Como exemplo temos a referência a segunda das cenas que citei nesse Comercial.
    Chaplin não só alcançou seu ápice como artista, mas enfrentou a todos inclusive a Hitler para produzir e lançar esse filme. 

    Classificação: MARAVILHOSO
      
    Poster e ficha técnica: WebCine


Quem quer ser um milionário?

  • título original:Slumdog Millionaire
  • gênero:Drama
  • duração:02 hs 00 min
  • ano de lançamento:2008
  • estúdio:Celador Films / Film4
  • distribuidora:Fox Searchlight Pictures / Europa Filmes
  • direção: Danny Boyle
  • roteiro:Simon Beaufoy, baseado em livro de Vikas Swarup
  • produção:Christian Colson
  • música:A.R. Rahman
  • fotografia:Anthony Dod Mantle
  • figurino:Suttirat Anne Larlarb
  • edição:Chris Dickens
Um rapaz pobre, morador da favela de Mumbai, enquanto participa de um programa de perguntas chamado "Quem quer ser um milionário?" de baixo de suspeitas de estar trapaciando, se recorda de momentos marcantes de sua vida onde tira informações que podem lhe ajudar a acertar as respostas.
Se não fossem as paisagens tão características da Índia esse filme poderia se passar facilmente no Brasil; a crítica social e a demonstração da pobreza do país são pontos muito explorados por nossos filmes também.
Na minha opinião mereceu sem dúvida alguma o Oscar recebido, a história vai te empolgando aos poucos que é bem possível chegar ao final torcendo como se estivesse assistindo "Show do milhão".
Destaque para a dança durante os créditos, marca registrada dos indianos.

Classificação: ÓTIMO

Poster e ficha técnica: IMDb

Piaf - um hino ao amor

  • título original:La Môme
  • gênero:Drama
  • duração:02 hs 20 min
  • ano de lançamento:2007
  • estúdio:Canal+ / TF1 International / Songbird Pictures / Sofica Valor 7 / TPS Star / Okko Productions
  • distribuidora:Europa Filmes
  • direção: Olivier Dahan
  • roteiro:Isabelle Sobelman e Olivier Dahan
  • produção:Alain Goldman
  • música:Christopher Gunning
  • fotografia:Tetsuo Nagata
  • direção de arte:Mick Lanaro, Beata Brendtnerovà, Laure Lepelley e Stanislas Reydellet
  • figurino:Marit Allen
  • edição:Richard Marizy
  • efeitos especiais:Rainmaker
Filme biográfico sobre Edith Piaf, cantora francesa que começou carreira em 1935.
Não vou narrar a vida dela aqui, pois se não o filme perde a graça. Mas acredito não ter como não se emocionar com história de vida tão sofrida, como era comum em artistas desse período, afinal essa não era uma profissão muito bem vista e que normalmente as pessoas de tal área não "tinham berço".
A maquiagem feita em Marion Cotillard é de deixar o queixo caído, incrível como conseguiram transformar uma mulher linda em feia.
Todo seu sentimento é passado através da música, com dom notável, voz marcante, e problemas maiores ainda.

Classificação: ÓTIMO

Poster e ficha técnica: IMDb

Uma rua chamada pecado

  • título original:A Streetcar Named Desire
  • gênero:Drama
  • duração:02 hs 05 min
  • ano de lançamento:1951
  • estúdio:Warner Bros.
  • distribuidora:Warner Bros.
  • direção: Elia Kazan
  • roteiro:Oscar Saul, baseado em peça de Tennessee Williams
  • produção:Charles K. Feldman
  • música:Alex North
  • fotografia:Harry Stradling Jr.
  • direção de arte:Richard Day
  • figurino:Lucinda Ballard
  • edição:David Weisbart
Blanche certo dia aparece na casa de sua irmã para passar um período. O cunhado, não gostando dessa visita começa a ter atitudes mais machistas e violentas do que o comum, se posicionando como o vilão nos primeiros momentos do filme. Com o tempo ela passa a se mostrar desequilibrada mentalmente quase colocando a  perder o casamento de sua irmã e deixando rastros de que esconde algo de seu passado.
A tensão fica no ar durante todo o filme, não só do ponto violento mas sexual também, é claro o desejo que Blanche nutre pelo cunhado e ele de certa forma retribui; a situação chega a tal ponto que põe em dúvida qual a verdade do final da história.
A interpretação na década de 50 ainda era um pouco caricata, mas coube muito bem a personagem de Vivien Leigh; Marlon Brando mostra nesse filme o porque fez, e faz, mulheres suspirarem.
Mas uma certeza ao final desse filme você terá, nunca mais escutará alguém gritando "Stella!!" do mesmo jeito.

Classificação: BOM

Poster e ficha técnica: IMDb

Casablanca

  • título original:Casablanca
  • gênero:Drama
  • duração:01 hs 43 min
  • ano de lançamento:1942
  • estúdio:Warner Bros.
  • distribuidora:Warner Bros. / Metro-Goldwyn-Mayer
  • direção: Michael Curtiz
  • roteiro:Julius J. Epstein, Philip G. Epstein e Howard Koch, baseado em peça de Murray Burnett e Joan Alison
  • produção:Hal B. Wallis
  • música:M.K. Jerome, Jack Scholl e Max Steiner
  • fotografia:Arthur Edeson
  • direção de arte:Carl Jules Weyl
  • figurino:Orry-Kelly
  • edição:Owen Marks
Casablanca é usada como rota de fuga para América durante a 2ª Guerra Mundial, nesse local exótico que Rick reencontra seu antigo amor Ilsa, com seu marido.
Por ser muito falado e considerado um clássico, faz com que quem ainda não viu crie muita espectativa em cima, foi o que aconteceu comigo; para mim a história deixa a desejar, de resto um filme bom mas comum. Porém é ouvindo a trilha, principalmente "As time goes by", e ouvindo frases como "este é o início de uma bela amizade" e "nós sempre teremos Paris" que a emoção vem a flor da pele e é entendido o porque de tal título ao filme, sentindo então como se você estivesse entrando para a história junto com o filme.
Vale a pena, mas cria muita espectativa.

Classificação: BOM

Pos ter e ficha técnica: IMDb

A malvada

  • título original:All About Eve
  • gênero:Drama
  • duração:02 hs 18 min
  • ano de lançamento:1950
  • estúdio:20th Century Fox
  • distribuidora:20th Century Fox
  • direção: Joseph L. Mankiewicz
  • roteiro:Joseph L. Mankiewicz
  • produção:Darryl F. Zanuck
  • música:Alfred Newman
  • fotografia:Milton R. Krasner
  • direção de arte:George W. Davis e Lyle R. Wheeler
  • figurino:Edith Head
  • edição:Barbara McLean
Bette Davis interpreta Margo Channing, uma super estrela temperamental, egocêntrica e orgulhosa, porém não há como não se apaixonar por ela. Logo no começo ela conhece Eve Harrington, interpretada por Anne Baxter, uma moça fã de Margo, muito delicada, prestativa e educada, mas que te deixa com um pé atrás o tempo todo. Na realidade ela se aproveita dessa chance de aproximação para alcançar seu objetivo de virar uma grande atriz e quiçá roubar o posto de Margo.
Quem passa por malvada todo o tempo é a atriz cheia de estrelismos e prepotente, mas com o tempo as máscaras vão caindo e a verdadeira malvada se revela.
Primeiro filme que vi da Bette Davis, mas só por ele posso dizer que virei fã.

Classificação: ÓTIMO

Poster e ficha técnica: IMDb

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Tempos de paz

  • título original:Tempos de Paz
  • gênero:Drama
  • duração:01 hs 20 min
  • ano de lançamento:2009
  • estúdio:Lereby Produções
  • distribuidora:Downtown Filmes
  • direção: Daniel Filho
  • roteiro:Bosco Brasil
  • produção:Daniel Filho
  • fotografia:Tuca Moraes
  • direção de arte:Marcos Flaksman
  • figurino:Marília Carneiro
  • edição:Diana Vasconcellos
Final da 2ª Guerra Mundial, ao mesmo tempo em que vários estrangeiros vêm buscar uma nova vida no Brasil, pessoas torturadas no regime de Getúlio Vargas começam a ser soltas. Dois personagens, cada um vindo de uma dessas situações se encontram logo no começo da história. Segismundo, ex-torturador do regime, trabalha no porto com a imigração e teme ser perseguido pelos torturados em busca de vingança. Clausewitz, ator polônes, por ter sua arte endurecida pela guerra busca uma nova vida como agricultor, mas por um desentendimento é tido como comunista.
É bom gostar muito dos atores Dan Stulbach e Tony Ramos, pois são só eles praticamente que verá até o final do filme, digamos que é "um monólogo de dois". E não pense que o filme tem cunho extritamente político, muito pelo contrário a parte social está enrustida dentro de uma temática artística.
Muito emocionante; com esse filme o Brasil mostra um pouco mais de seu potencial com produções cinematográficas de qualidade.

Classificação: ÓTIMO

Poster e ficha técnica: IMDb

Se beber, não case

  • título original:The Hangover
  • gênero:Comédia
  • duração:01 hs 40 min
  • ano de lançamento:2009
  • estúdio:Warner Bros. Pictures / Green Hat Films / Legendary Pictures / IFP Westcoast
  • distribuidora:Warner Bros. Pictures
  • direção: Todd Phillips
  • roteiro:Jon Lucas e Scott Moore
  • produção:Daniel Goldberg e Todd Phillips
  • música:Christophe Beck
  • fotografia:Lawrence Sher
  • direção de arte:Andrew Max Cahn e A. Todd Holland
  • figurino:Louise Mingenbach
  • edição:Debra Neil-Fisher
Um rapaz prestes a se casar é levado pelos amigos para ter sua despedida de solteiro em Las Vegas. No dia seguinte, sem memória alguma eles encontram um tigre no banheiro, um bebê no armário, um deles sem um dente e o noivo sumiu. Mas como isso tudo aconteceu? É essa a saga do filme, tentar descobrir pelo que passaram em uma das noites mais loucas de suas vidas. Falando assim parece mais um besteirol americano; confesso que estava com um pé atrás de vê-lo, não morri de rir, mas terminei de assistir com uma sensação de dever cumprido - tanto meu de ter assistido, quanto deles de terem feito uma comédia interessante.
Uma coisa que adoro em filmes, séries, teatros, enfim em tudo que vejo, são referências, lógico que principalmente quando eu as entendo. A única cena que me fez gargalhar foi exatamente uma paródia feita ao comercial da Cadburys Dairy Milk, onde um gorila toca uma bateria ao som de Phil Collins, na primeira cena de Myke Tyson no filme, simplesmente sensacional. Outra referência acontece quase no final do filme quando, no cassino, os amigos dão um golpe para conseguirem dinheiro e números rodam em volta da cabeça do cunhado do noivo, relacionado ao filme "Quebrando a banca".
O que era para ser uma decepção virou uma surpresa para mim.

Classificação: ÓTIMO

Poster e ficha técnica: IMDb

Coraline e o mundo secreto

  • título original:Coraline
  • gênero:Animação
  • duração:01 hs 41 min
  • ano de lançamento:2009
  • estúdio:Laika Entertainment / Pandemonium
  • distribuidora:Focus Features / Universal Pictures
  • direção: Henry Selick
  • roteiro:Henry Selick, baseado em livro de Neil Gaiman
  • produção:Claire Jennings e Mary Sandell
  • música:Bruno Coulais e They Might Be Giants
  • fotografia:Pete Kozachik
  • direção de arte:Phil Brotherton, Jamie Caliri, Tom Prooste e Dawn Swiderski
  • edição:Christopher Murrie e Ronald Sanders
  • efeitos especiais:Gentle Giant Studios
Coraline é uma garota hiperativa, que entediada com a nova casa, e sem conseguir a atenção dos pais, um dia passeando pelos novos arredores descobre uma porta que a leva para outra dimensão onde tudo que lhe incomoda no mundo real é perfeito, ou não; com o tempo a garota vai percebendo as verdadeiras intenções da "outra mãe" e de todos aquele seres com botões no lugar dos olhos.
Com um estilo sombrio, que muito lembra as animações de Tim Burton, esse stop-motion não fica nenhum um pouco para trás. Bem feito, com personagens cheios de personalidades palpáveis, e um roteiro que amarra o espectador (seja criança ou adulto) na poltrona.

Classificaçaõ: BOM

Poster e ficha técnica: IMDb

Paris, te amo

  • título original:Paris, Je T'Aime
  • gênero:Drama
  • duração:01 hs 56 min
  • ano de lançamento:2006
  • estúdio:Canal+ / Filmazure / X-Filme Creative Pool / Pirol Stiftung / Victoires International
  • distribuidora:First Look Pictures Releasing / Imagem Filmes
  • direção: Olivier Assayas , Frédéric Auburtin , Gérard Depardieu , Joel Coen , Gurinder Chadha , Sylvain Chomet , Ethan Coen , Isabel Coixet , Wes Craven , Alfonso Cuarón , Christopher Doyle , Richard LaGravanese , Vincenzo Natali , Alexander Payne , Walter Salles , Bruno Podalydès , Daniela Thomas , Olivier Schmitz , Nobuhiro Suwa , Tom Tykwer , Gus Van Sant , Emmanuel Benvihy
  • roteiro:Payl Mayeda Berges e Gurinder Chadha (segmento "Quais de Seine"), Gus Van Sant (segmento "Le Marais"), Joel Coen e Ethan Coen (segmento "Tuileries"), Walter Salles e Daniela Thomas (segmento "Loin du 16ème"), Christopher Doyle, Gabrielle Keng e Kat
  • produção:Emmanuel Benbihy e Claudie Ossard
  • música:Tom Tykwer, Reinhold Heil e Johnny Klimek (segmento "Faubourg Saint-Denis"), Pierre Adenot, Leslie Feist, Christophe Monthieux e Marie Sabbah
  • fotografia:Maxime Alexandre (segmento "Père-Lanchaise"), Michel Amatieu (segmento "Place des Fêtes"), Bruno Delbonnel (segmento "Tuileries"), Christopher Doyle (segmento "Porte de Choisy"), Eric Gautier (segmentos "Loin du 16ème" e "Quartier des
  • direção de arte:
  • figurino:Olivier Bériot e Pierre-Yves Gayraud (segmentos "Tuileries" e Faubourg Saint-Denis")
  • edição:Luc Barnier (segmento "Quartier des Enfants Rouges"), Mathilde Bonnefoy (segmento "Faubourg Saint-Denis"), Stan Collet (segmento "Père-Lachaise"), Simon Jacquet (segmentos "Quais de Seine", "Porte de Choisy", "Bastille", "Pigalle", "Quartier Latin"
Alguns dos mais renomados diretores da atualidade convocados a fazerem curtas que envolvessem a cidade de Paris e as suas visões do Amor.
Não vou falar de todos os curtas, afinal são 21, e sinopse de curta é praticamente um spoiler. Mas gostaria de dar destaque a alguns que me chamaram mais atenção: primeiro "Loin du 16e" de Walter Salles sobre uma mulher que deixa seu filho para cuidar do filho de outra pessoa; Sylvain Chomet consegue unir o pitoresco e o encantador no curta Tour Eiffel que mostra a busca pelo amor por um mímico;e por fim, Tom Tykwer com dinamismo mostra a duração e provável final no relacionamento de Natalie Portman e um cego em Faubourg Saint-Denis.
Lindo, encantador, fácil de assistir. Esse me deixou muito animada para ver "New York, I love you" e o ainda não lançado "Rio de Janeiro, te amo".

Classificação: ÓTIMO

Ficha técnica e poster: IMDb

Jogando com prazer

  • título original:Spread
  • gênero:Romance
  • duração:01 hs 37 min
  • ano de lançamento:2009
  • estúdio:Barbarian Films / Katalyst Films / Oceana Media Finance
  • distribuidora:Imagem Filmes
  • direção: David Mackenzie
  • roteiro:Jason Dean Hall, baseado em estória de Jason Dean Hall e Paul Kolsby
  • produção:Jason Goldberg, Peter Morgan e Ashton Kutcher
  • música:John Swihart
  • fotografia:Steven Poster
  • figurino:Ruth E. Carter
  • edição:Nicholas Erasmus
Nikki é um rapaz que quer ter tudo sem fazer esforço algum, para isso conquista mulheres ricas e presta favores sexuais, isso se extende até ele conhecer uma mulher que não é como todas as outras que caíam na sua conversa e sua vida tomar um rumo nada esperado por ele.
Roteiro fraco, filme apelativo com cenas de sexo descabidas - deveria sair da prateleira de Romance direto para Pornô -; a única coisa que resta ao final é uma lição de moral meia-boca e talvez uma sensação de vingança para aquelas mulheres que se identificam com as que passaram pelas mãos de Nikki durante toda a história.

Classificação: PÉSSIMO

Poster e ficha técnica: IMDb

Novidades no amor

  • título original:The Rebound
  • gênero:Comédia Romântica
  • duração:01 hs 37 min
  • ano de lançamento:2009
  • estúdio:A&F Productions / The Film Department / Process Productions
  • distribuidora:The Weinstein Company / Imagem Filmes
  • direção: Bart Freundlich
  • roteiro:Bart Freundlich
  • produção:Bart Freundlich, Mark Gill, Robert Katz e Tim Perel
  • fotografia:Jonathan Freeman
  • direção de arte:Doug Huszti
  • figurino:Melissa Toth
Após o divórcio Sandy, quarentona mãe de dois filhos, precisa se virar sozinha e arranja "um" babá de 24 anos, Aram. Eles acabam se envolvendo mais do que profissonalmente e é a partir daí que o verdadeiro tema da história passa a acontecer.
Só que é nesse ponto que surge o problema: a intenção era mostrar as divergências em um relacionamento com grande diferença de idade, a insegurança de um, as limitações que o outro se sujeita, mas isso não acontece, quando um problema aparece tudo já é resolvido e pronto.
O ponto que mais me diverti foi quando, em uma apresentação de teatro amador , um dos atores no palco grita "Stella!!", fazendo referência ao filme "Uma rua chamada pecado", e logo em seguida há a encenação de um trecho de "Top Gun"
Filme bem morno, esperava pelo menos que fosse mais vendável.

Classificação: REGULAR

Poster e ficha técnica: IMDb

Um olhar do paraíso

  • título original:The Lovely Bones
  • gênero:Drama
  • duração:02 hs 15 min
  • ano de lançamento:2009
  • estúdio:WingNut Films / DreamWorks SKG / Film4 / Key Creatives
  • distribuidora:DreamWorks SKG / Paramount Pictures
  • direção: Peter Jackson
  • roteiro:Fran Walsh, Philippa Boyens e Peter Jackson, baseados em livro de Alice Sebold
  • produção:Carolynne Cunningham, Peter Jackson, Aimée Peyronnet e Fran Walsh
  • música:Brian Eno
  • fotografia:Andrew Lesnie
  • direção de arte:Jules Cook e Chris Shriver
  • figurino:Nancy Steiner
  • edição:Jabez Olssen
  • efeitos especiais:Weta Digital
 Susie Salmon é violentada e morta aos 14 anos de idade por um vizinho, a partir desse fato a história se desenvolve em dois campos: o da família desestruturada com a tragédia e tentando esclarecer o caso e o da menina que completa o trajeto entre o Céu e a Terra tentando amenizar o sofrimento de seus entes queridos e esclarecer as dúvidas sobre o crime.
Com uma fotografia sensacional, roteiro muito bem elaborado e cenografia surreal, o filme não deixa a desejar em nenhum detalhe.

Classificação: BOM

Poster e fiche técnica: IMDb

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Três mulheres, três amores

  • Titulo Original: Mystic Pizza
  • Gênero: Comédia, Drama
  • Duração: 104
  • País: EUA
  • Ano: 1988
  • Direção: Donald Petrie 
  • Roteiro: Amy Holden Jones
Em uma pequena cidade três amigas, descendentes de portugueses, trabalham em uma pizzaria. Elas encontram seus amores, porém todos vigiados e controlados por seus conhecidos que criam preconceitos sobre seus relacionamentos.
Julia Roberts , mesmo fazendo a mulher fatal como de costume, não é aquela poderosa como em outros personagens, mas uma mulher desejada e vulgar. Annabeth Gish, irmã de Julia, é seu oposto: culta e tímida, porém não menos deixa de se envolver em encrencas. Por fim Lili Taylor, a mais desligada das amigas, mantém um noivo desde o começo do filme, mas não tem certeza se realmente deseja casar, enquanto o rapaz é conservador e assim mantém seus ideais.
Discussões sobre relacionamentos com pessoas comprometidas, envolvimento sexual antes do casamento, diferenças de classes sociais são as temáticas principais desse roteiro agrádavel, porém com nada de grandioso.

Classificação: REGULAR

Ficha técnica e poster: Cineminha

Agora seremos felizes

  • (Meet Me in St. Louis, 1944)
  •  Direção: Vincente Minnelli
  •   Roteiro: Irving Brecher (roteiro), Fred F. Finklehoffe (roteiro), Sally Benson (livro)
  •   Gênero: Musical/Romance
  •   Origem: Estados Unidos
  •   Duração: 113 minutos
  •   Tipo: Longa-metragem
A história se passa em 1903, na casa da família Smith. Sempre felizes e unidos, assim a história permace por um bom tempo. As irmãs mais velhas se apaixonam, começam a namorar e então o pai lhes dá a notícia : mudaremos para Nova York. E como ficarão essas garotas sem seus amores e sem St Louis?
A música tema que dá nome ao filme, sinceramente, chega ao ponto de ser cansativa por ser muito tocada, mas não deixa de ser alegre e divertida. Como todo musical, o filme é leve e gracioso; além de Judy Garland que se mantém impecável como sempre.

Classificação: BOM

Ficha técnica e poster: IMDb        

Em pé de guerra

  • título original:Mr. Woodcock
  • gênero:Comédia
  • duração:01 hs 27 min
  • ano de lançamento:2007
  • estúdio:Avery Pix / Landscape Pictures / MACRON Filmproduktion Projekt 1 KG
  • distribuidora:New Line Cinema / PlayArte
  • direção: Craig Gillespie
  • roteiro:Michael Carnes e Josh Gilbert
  • produção:Bob Cooper e David Dobkin
  • música:Theodore Shapiro
  • fotografia:Tami Reiker
  • direção de arte:Gaston Langer e James F. Truesdale
  • figurino:Wendy Chuck
  • edição:Alan Baumgarten e Kevin Tent
  • efeitos especiais:Full Scale Effects / Sight Effects / Pacific Title and Art Studio
Seann William Scott interpreta um autor de livros auto-ajuda famoso, porém teve sua inspiração nos maus bocados que passou na infância com seu professor  de educação física tirano. Quando resolve visitar sua mãe, descobre que ela está namorando exatamente o tal professor, e a partir daí começa a saga para terminar com esse relacionamento que desperta todos seus traumas.
Comédias americanas desse tipo, na minha opinião são fracas e de baixo nível. Seann só participa de filmes desse gênero e isso faz com que eu pegue uma implicância gigante com ele, além de que não faz por merecer ser considerado bom ator. O que me surpreende é Susan Sarandon, que para mim é uma atriz sensacional, se sujeitar a fazer um filminho vagabundo e meia boca como esse.

Classificação: LIXO

Ficha técnica e poster: IMDb

Ponto Final - Match Point

  • título original:Match Point
  • gênero:Drama
  • duração:02 hs 04 min
  • ano de lançamento:2005
  • estúdio:BBC Films / Magic Hour Media / Thema Production / Invicta Capital Ltd.
  • distribuidora:DreamWorks Distribution LLC / PlayArte
  • direção: Woody Allen
  • roteiro:Woody Allen
  • produção:Letty Aronson, Lucy Darwin e Gareth Wiley
  • música:Remi Adefarasin
  • figurino:Jill Taylor
  • edição:Alisa Lepselter
  • efeitos especiais:Effects Associates Ltd. / The Moving Picture Company
 Chris é um ex-jogador de tênis que, trabalhando como professor particular, conhece Tom - futuro amigo e cunhado - e também sua namorada Nola, por quem se apaixona e com quem mantém um caso.
Esse filme me ajudou a pegar mais gosto ainda por Woody Allen; fazendo menos referências cults, aqui ele apresenta personagens menos neuróticos porém um em particular extremamente sortudo.
Você pode enxergar esse roteiro com duas temáticas: a da sorte, tendo em vista um personagem que sempre se dá bem ou se safa de problemas; ou do azar, vendo então outro personagem que segue na mão contrária do personagem principal.
Final conturbador, nenhum pouco clichê, e ao mesmo tempo delicioso.

Classificação: ÓTIMO

Ficha técnica e poster: IMDb