segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

O homem que matou facínora

  • Direção: John Ford
  • Roteiro: James Warner Bellah, Willis Goldbeck, Dorothy M. Johnson
  • Gênero: Faroeste
  • Origem: Estados Unidos
  • Duração: 123 minutos
  • Tipo: Longa-metragem
Um rapaz é assaltado durate a viagem, chega a um vilarejo e o bandido é o terror da população. Ele e o valentão da cidade dividem o amor da mocinha. Ambos querem acabar com o vilão, porém um através da lei e o outro através da violência. A história por si só, sem localização de tempo e região, já diz o gênero: Faroeste.
Eu diria que pode ser considerado o gênero que representa o "conto de fadas" do século XX; personagens bem marcados: o rapaz de tão bom beira a pura inocência, o vilão tão mal que faz tudo sem nem ter justificativa, a mocinha super meiga e prendada.
Prende a atenção, tem piadas prontas, e pode ser uma boa diversão para quem não está afim de papo cabeça.

Classificação: BOM

Poster e Ficha técnica: IMDb

Nosferatu

  • título original: Nosferatu: Phantom der Nacht
  • gênero:Terror
  • duração:124 min.
  • ano de lançamento:1979
  • direção: Werner Herzog
  • país: França/ Alemanha
Um corretor imobiliário vai até os Montes Cárpatos para negociar a venda de uma casa com um sujeito um tanto quanto bizarro, que na verdade é o Drácula. O rapaz acaba se transformando em um vampiro e a única pessoa que pode reverter a situação é sua esposa.
Todo o filme é muito sombrio, os personagens são mórbidos e sem dúvida alguma, é um grande clássico do terror que deve ter perturbado o sono de muitas pessoas. Mas essa perturbação mais em relação ao original de 1922, pois esse que estou comentando é a refilmagem.
Porém para o público do século XXI é cansativo e arrastado. Assumo que cochilei no meio do filme, porém quando acordei - não sei dizer quanto perdi - consegui continuar acompanhando a história sem perder o fio da meada.

Classificação: REGULAR

Ficha técnica: MelhoresFilmes
Poster: Google

Os imperdoáveis

  • título original:Unforgiven
  • gênero:Faroeste
  • duração:02 hs 11 min
  • ano de lançamento:1992
  • estúdio:Warner Bros.
  • distribuidora:Warner Bros.
  • direção: Clint Eastwood
  • roteiro:Clint Eastwood
  • produção:Clint Eastwood
  • música:Lennie Niehaus
  • fotografia:Jack N. Green
  • direção de arte:Adrian Gorton e Rick Roberts
  • figurino:Janice Blackie-Goodine
  • edição:Joel Cox

Em 1992 Clint volta a fazer o gênero que marcou sua carreira, western ou faroeste; quem também retorna é seu personagem, um aposentado matador de aluguel que volta a ativa para ganhar uma recompensa se matar os vaqueiros que cortaram o rosto de uma prostituta.
A pouco tempo comecei a assistir filmes de faroeste e assumo que me encantei. Sim é cheio de clichês, mas ao mesmo tempo é lotado de encantos. Como sempre digo: se chama clichê e se tornou um é porque essa fórmula funcionou de alguma maneira e agradou um grande público.
É até difícil falar do elenco, Eastwood, Freeman e Hackman dão show de interpretação. O olho por olho é palpável e desperta em quem está assistindo a vontade de duelar em frente ao saloon. Além da fotografia que é linda, e não tão árida como de costume.
Quer começar assistir filmes de faroeste? Esse é a pedida.

Classificação: ÓTIMO

Poster e ficha técnica: IMDb

Psicose

  • título original:Psycho
  • gênero:Suspense
  • duração:01 hs 47 min
  • ano de lançamento:1960
  • estúdio:Shamley Productions
  • distribuidora:Paramount Pictures
  • direção: Alfred Hitchcock
  • roteiro:Joseph Stefano, baseado em livro de Robert Bloch
  • produção:Alfred Hitchcock
  • música:Bernard Herrmann
  • fotografia:John L. Russell
  • direção de arte:Robert Clatworthy e Joseph Hurley
  • figurino:Helen Colvig e Rita Riggs
  • edição:George Tomasini

Após roubar U$ 40 mil do escritório onde trabalhava, a secretária Marion durante a fuga acaba parando em um hotel afastado da estrada principal. Os donos são um rapaz solitário e sua mãe, nunca vista mas sempre ouvida aos berros na casa que fica ao lado do estabelecimento. Para seu azar, Marion não sabe o que a espera no chuveiro daquele local.
Esse filme contém uma das cenas e trilhas sonoras mais marcantes do cinema. Entre todos os filmes de Hitchcock que já vi sem dúvida Psicose se tornou meu favorito. Para minha vergonha, só o assisti semana passado (absurdo!) mas me provocou sensações que não sentia desde minha pré-adolescência quando costumava assistir com frequência filmes de terror/suspense.
A sensação é de estar com uma corda no pescoço durante todo o desenrolar da história,  a angústia de ver a cada personagem uma provável nova vítima consegue fazer com que o telespectador se assuste com um simples balançar de uma planta.
Assumo que fiquei tão em suspense durante o filme que cheguei ao ponto de soltar um grito espontâneo em uma cena. A única coisa que me deixou triste foi que por um chute acertei o final logo no começo.
As classificações Clássico e Antigo assustam algumas pessoas, mas não se deixe levar por isso, essa filme merece 6 estrelas.

Classificação: MARAVILHOSO

Poster e ficha técnica: IMDb

domingo, 13 de dezembro de 2009

A lenda do Tesouro Perdido - Livro dos Segredos

  • título original:National Treasure: Book of Secrets
  • gênero:Aventura
  • duração:02 hs 04 min
  • ano de lançamento:2007
  • estúdio:Walt Disney Pictures / Jerry Bruckheimer Films / Junction Entertainment / Sparkler Entertainment / Saturn Films
  • distribuidora:Buena Vista Pictures
  • direção: Jon Turteltaub
  • roteiro:Cormac Wibberley e Marianne Wibberley, baseado em estória de Cormac Wibberley, Ted Elliott, Terry Roscio e Marianne Wibberley e nos personagens criados por Jim Kouf, Oren Aviv e Charles Segars
  • produção:Jerry Bruckheimer e Jon Turteltaub
  • música:Trevor Rabin
  • fotografia:Amir M. Mokri e John Schwartzman
  • direção de arte:Julian Ashby e A. Todd Holland
  • figurino:Judianna Makovsky
  • edição:William Goldenberg, Andrew Haddock e David Rennie
  • efeitos especiais:Post Media / Realscan 3D / Asylum VFX / Proof
Nessa continuação o bisavô de Ben Gates é acusado de participar da conspiração que matou Abraham Lincoln. Inconformado com tal acusação, Ben reune novamente a trupe para, através de novas sagas praticamente impossíveis liparem a ficha do bisavô. Envolvendo na história a separação da namorada, o mal relacionamento entre seus pais, e uma intervenção absurda ao presidente dos EUA - o que depois do episódio do casal bicão na festa da Casa Branca não ficou tão absurda assim.
Segue os mesmos padrões "sessão da tarde" do primeiro Lenda do Tesouro Perdido, a única dúvida que me corrói é: Por que não colocaram a personagem de Helen Mirren já no primeiro? Ela está incrível como sempre.

Classificação: REGULAR

Poster e fica técnica: IMDb

Julie & Julia

  • título original:Julie & Julia
  • gênero:Drama
  • duração:02 hs 03 min
  • ano de lançamento:2009
  • estúdio:Columbia Pictures / Scott Rudin Productions / Easy There Tiger Productions
  • distribuidora:Columbia Pictures
  • direção: Nora Ephron
  • roteiro:Nora Ephron, baseado no livro "Julie & Julia", de Julie Powell, e "My Life in France", de Julia Child e Alex Prud'homme
  • produção:Nora Ephron, Laurence Mark, Amy Robinson e Eric Steel
  • música:Alexandre Desplat
  • fotografia:Stephen Goldblatt
  • direção de arte:Ben Barraud
  • figurino:Ann Roth
  • edição:Richard Marks
  • efeitos especiais:Brainstorm Digital
Julia é uma amereicana que vive se mudando por causa do emprego do marido, e inicia sua paixão pela culinária no período que mora em Paris na década de 50. Julie acaba de se mudar para o Queens, logo após o atentado das Torres Gêmeas, está para completar 30 anos completamente frustrada com o rumo que sua vida levou. Através de Julia, Julie tenta dar uma volta por cima escrevendo em um blog suas experiências em preparar os pratos do tão famoso livro da primeira em um ano.
Um filme calmo, relaxante, divertido, perfeito para uma tarde de domingo - exatamente quando assisti - mas discordo de ter sido inserido na categoria de Drama, ela me remete a filmes para baixo e esse definitivamente não é um, tudo bem que não é a alegria em forma de película, mas diria que é neutro e se encaixa perfeitamente naquela patreleira indefinida chamada "filmes familiares".
Ah! E não assista de barriga vazia, pois mesmo tendo assistido logo após o almoço salivei durante o filme inteiro.

Classificação: BOM

Poster e ficha técnica: IMDb


domingo, 6 de dezembro de 2009

Lenda do tesouro perdido

  • título original:National Treasure
  • gênero:Aventura
  • duração:02 hs 11 min
  • ano de lançamento:2004
  • estúdio:Touchstone Pictures / Jerry Bruckheimer Films / Junction Entertainment / Walt Disney Pictures / Saturn Films / Declaration Productions Inc.
  • distribuidora:Buena Vista Pictures
  • direção: Jon Turteltaub
  • roteiro:Jim Kouf, Ted Elliott, Terry Rossio, Oren Aviv, Charlie Segars, Cormac Wibberley e Marianne Wibberley
  • produção:Jerry Bruckheimer e Jon Turteltaub
  • música:Trevor Rabin
  • fotografia:Caleb Deschanel
  • direção de arte:Geoff Hubard
  • figurino:Judianna Makovsky
  • edição:William Goldenberg
 Vamos começar deixando bem claro que esse filme é uma grande pedida para sessão da tarde.
A família do personagem de Nicolas Cage vêm a gerações buscando um tesouro perdido, ninguém mais dá credibilidade a eles, os considerando loucos. Após muitas buscas, Cage descobre que há uma pista escondida na Declaração de Independência dos EUA, e para conseguir essa informação terá que roubá-la.
Eu poderia dizer que há muitos absurdos na história, porém depois que aquele casal entrou de bicão na festa da Casa Branca, achei melhor mudar o discurso.
O caminho que o roteiro nos leva é bacana, os pontos históricos que ligam uma pista a outra são de prender a atenção, porém poderiam ser melhor explicados e não passados por cima como acontece todo o tempo, acredito que isso seja resultado de querer injetar muita ação em um filme só, ficou corrido demais.
Não acho que filmes mais juvenis como esse combinem com o Nicolas Cage, que representa uma enciclopédia ambulante que chega a ser irritante e forçado; porém o personagem de Justin Bartha é muito bom - um cara inteligente,engraçado e verossímel com a realidade.
Quer passar o tempo? Assista esse filme e boa diversão.

Classificação: REGULAR

Poster e ficha técnica: IMDb