sábado, 31 de outubro de 2009

King Kong - 2005

  • título original:King Kong
  • gênero:Aventura
  • duração:03 hs 07 min
  • ano de lançamento:2005
  • estúdio:Universal Pictures / WingNut Films / Big Primate Pictures
  • distribuidora:Universal Pictures / UIP
  • direção: Peter Jackson
  • roteiro:Fran Walsh, Philippa Boyens e Peter Jackson, baseado em estória de Merian C. Cooper e Edgar Wallace
  • produção:Jan Blenkin, Carolynne Cunningham, Peter Jackson e Fran Walsh
  • música:James Newton Howard
  • fotografia:Andrew Lesnie
  • direção de arte:Simon Bright e Dan Hennah
  • figurino:Terry Ryan
  • edição:Jamie Selkirk
  • efeitos especiais:Weta Digital Ltd. / EYETECH Optics / Gentle Giant Studios Inc.
A história continua a mesma do Original de 1933, mas há ressalvas a fazer sobre esse filme.
Sem dúvida alguma a produção gráfica é imensamente superior aos anteriores, o gorila gigante é bem real e muito mais expressivo.
A cena em que ele desliza sobre o gelo como uma criança que nunca viu neve é sensacional, e a cena clássica do gorila em cima do Empire State é mais proporcional ao que seria o animal em relação ao prédio.
Porém, por incrível que pareça, considero esse filme mais trash do que o primeiro. Por que? Simples - Jack Black; ele é engraçado e bom ator mas algo nele me remete produções B. Não achei que foi uma boa escolha para a refilmagem de um clássico como King Kong.

Classificação: ÓTIMO

Ficha técnica e pôster: IMDb


King Kong - 1933

  • título original:King Kong
  • gênero:Aventura
  • duração:01 hs 34 min
  • ano de lançamento:1933
  • estúdio:RKO Radio Pictures Inc.
  • distribuidora:RKO Radio Pictures Inc.
  • direção: Merian C. Cooper , Ernest B. Schoedsack
  • roteiro:James Ashmore Creelman e Ruth Rose, baseado em estória de Merian C. Cooper e Edgar Wallace
  • produção:Merian C. Cooper e Ernest B. Schoedsack
  • música:Max Steiner
  • fotografia:J.O. Taylor
  • direção de arte:Carroll Clark, Alfred Herman e Van Nest Polglase
  • edição:Ted Cheesman
Para aqueles que acham que esse é mais um daqueles filmes antigos mal feitos, se engana. Muitas cenas que eu pensava terem sido criadas para a última versão desse filme já estão no original, como por exemplo o King Kong brincando com a madíbula do T-Rex.
A história basicamente é a seguinte: um cineasta aventureiro resolve filmar em uma ilha misteriosa, leva consigo uma atriz que está passando por problemas financeiros. Quando chegam lá descobrem esse macaco gigante, que se apaixona pela moça e depois é capturado e levado para Nova York.
Para um filme de 1933, a produção grafica é magnífica, enquanto em alguns outros filmes antigos pode-se ver as linhas que seguram alguns objetos ou o contorno do recorte em volta do personagem, em King Kong isso não é notado. Lógico que as pessoas de hoje em dia vêem facilmente que são montagens, mas temos que ver esse tipo de filme pensando como alguém da época, e com certeza um cidadão de 1933 levou vários sustos pensando que aquilo realmente era de verdade.

Classificação: ÓTIMO

Ficha técnica e pôster: IMDb


domingo, 25 de outubro de 2009

Bastardos Inglórios

Diretor: Quentin Tarantino
Elenco: Brad Pitt, Diane Kruger, Mélanie Laurent, Christoph Waltz, Daniel Brühl, Eli Roth, Samm Levine, Michael Fassbender, B.J. Novak, Til Schweiger.
Produção: Lawrence Bender
Roteiro: Quentin Tarantino
Fotografia: Robert Richardson
Duração: 153 min.
Ano: 2009
País: EUA/ Alemanha
Gênero: Ação
Cor: Colorido
Distribuidora: Universal Pictures
Estúdio: Lawrence Bender Productions / Universal Pictures / A Band Apart / The Weinstein Company / Studio Babelsberg / Zehnte Babelsberg
Classificação: 18 anos

Eu gosto muito de todos os filmes que tiveram um dedinho do Tarantino, mas Bastardos se superou. Incrível, sensacional, maravilhoso - enfim, FODA. Tendo como base a Segunda Guerra Mundial, um grupo de soldados judeus se unem para matar nazistas como civis, enquanto em outro lugar da França uma jovem consegue escapar do massacre de sua família e deseja vingança. A história é boa, mas o que a torna sensacional são as piadinhas dignas do Tarantino, na minha opinião um dos melhores humores do cinema - de mal gosto - aquele que te faz rir nos piores momentos; apesar do filme não ter tantas características de filmes dele - como começar do final - mas mantém a divisão por capítulos, como Kill Bill, e a forma irônica de espalhar sangue o tempo todo.
Brad Pitt, apesar de não aparecer tanto como dá a entender o trailer, estava em uma das suas melhores atuações. Como um típico caipira americano, seu sotaque tira várias gargalhadas do público. Vale destacar a cena em que ele e seus amigos tentam falar italiano - para mim uma das melhores e a única em que o cinema inteiro deu risada em uníssono.
Fazia tempo que eu não ia ver um filme que me deixasse tão entusiasmada, em várias cenas de bastardos meu coração dispararava de ansiedade pelo que estava por acontecer.

Classificação: MARAVILHOSO

Ficha técnica e pôster: CineClick


quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Watchmen - O Filme

  • título original:Watchmen
  • gênero:Ficção Científica
  • duração:02 hs 43 min
  • ano de lançamento:2009
  • estúdio:Warner Bros. Pictures / Paramount Pictures / DC Comics / Lawrence Gordon Productions / Legenday Pictures
  • distribuidora:Paramount Pictures / Warner Bros. Pictures / UIP
  • direção: Zack Snyder
  • roteiro:Alex Tse e David Hayter, baseado em graphic novel de Alan Moore e Dave Gibbons
  • produção:Lawrence Gordon, Lloyd Levin e Deborah Snyder
  • música:Tyler Bates
  • fotografia:Larry Fong
  • direção de arte:François Audouy, Helen Jarvis e James Steuart
  • figurino:Michael Wilkinson
  • edição:William Hoy
  • efeitos especiais:CIS Hollywood / Intelligent Creatures / Rainmaker / Proof / Drac Studios / Lidar Services / Gentle Giant Studios / Moving Picture Company / Quantum Creation FX / Rising Sun Pictures / Sony Pictures Imageworks / Svengali Visual Effects
Filmes baseados em quadrinhos costumam me encantar tanto quanto animações, mas normalmente são bem parecidos e mantém um senso comum. O que não acontece nesse filme.
Logo no início do filme um super-herói é morto, o que desencadeia a reunião dos outros de seu grupo em busca de desvendar esse mistério, e resolver antigos problemas internos; e é exatamente essa cena inicial que me chamou a atenção e me mostrou que prometia valer a pena - uma luta tendo como trilha sonora Frank Sinatra sensacional. E logo em seguida a abertura com fundo de Bob Dylan, na verdade toda a trilha sonora é maravilhosa e muito bem aplicada.
Além da situação com os heróis, que ao mesmo tempo me pareceram anti-heróis, a história se ambienta no período de Guerra Fria, tendo junto com a temática de quadrinhos um apelo geopolítico.
Não sei dizer quão fiel é ao quadrinho da série, mas recomendo aos apaixonados pelo gênero.

Classificação: ÓTIMO

Ficha técnica e pôster: IMDb


quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Rapsodia em agosto


  • Título original: Rhapsody in August 
  • Gênero: Drama   
  • Tempo de Duração: 97 minutos 
  • Ano de Lançamento: 1991  
  • País: Japão 
  • Distribuição: Spectra Nova  
  • Direção: Akira Kurosawa 
 Mantenho minha opinião sobre a qualidade da interpretação oriental que disse em Os sete samurais; porém nesse filme a impressão final é totalmente diferente.
Sim, a fonética da língua japonesa conseguiu deixar até o Richard Gere sem expressão, mas a história é apaixonante.
Durante férias, crianças passam as férias com a avó em Nagasaki enquanto os pais viajam ao Havaí para conhecer alguns parentes americanos. A situação é um pouco entediante, já que a avó é muito idosa e ainda sofre muito pela perda do marido com a bomba da Segunda Guerra Mundial. Os pais buscam se dar bem com a qualidade de vida dos parentes americano, e as crianças cada vez mais entendem os sentimentos da avó.
A atriz Sachiko Murase dá um show como a senhora que suportou tudo após a guerra, tão centrada, espiritualizada, e espirituosa que dá vontade de tê-la perto de si e cuidar dessa senhora que representa a matriarca da família.
Todo o filme, apesar de ser uma lição de vida, passa meio arrastado, mas seus últimos 5 minutos de história valem pelas 2 horas de filme.

Classificação: ÓTIMO

Ficha técnica e pôster: PrimeTime

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Os sete samurais

  • título original:Shicinin No Samurai
  • gênero:Aventura
  • duração:03 hs 28 min
  • ano de lançamento:1954
  • estúdio:Toho
  • distribuidora:Columbia Pictures
  • direção: Akira Kurosawa
  • roteiro:Shinobu Hashimoto, Akira Kurosawa e Hideo Oguni
  • produção:Sojiro Motoki
  • música:Fumio Hayasaka
  • fotografia:Asakazu Nakai
  • figurino:Kôhei Ezaki
  • edição:Akira Kurosawa

Em um vilarejo japonês, no século XVI, camponeses vão em busca de samurais para a defesa de suas terras que vem sendo ameaçadas por bandidos. Não sou uma especialista em filmes orientais, muito menos fã, mas algumas considerações são inevitáveis de se fazer; não sei se é por serem criados em uma cultura muito diferente da nossa, mas acho o povo oriental muito pouco apto para a interpretação, beiram a inexpressividade, e quando se expressam mais parecem animês humanos, além da fonética da língua também dificultar a expressão de sentimentos por serem dialetos com tonalidades vocais muito parecidas. Esse é um filme para aqueles apaixonados por lutas marciais, acredito que esse seja o precursor do gênero, e que se interessem muito pelas culturas orientais.

Classificação: REGULAR

 Ficha técnica e poster: IMDb


segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Up - Altas Aventuras


  • título original:Up
  • gênero:Animação computadorizada
  • duração:01 hs 36 min
  • ano de lançamento:2009
  • estúdio:Walt Disney Pictures / Pixar Animation Studios
  • distribuidora:Walt Disney Studios Motion Pictures / Buena Vista International
  • direção: Pete Docter
  • roteiro:Bob Peterson
  • produção:Jonas Rivera
  • música:Michael Giacchino
  • direção de arte:Ralph Eggleston
 A Pixar, a cada filme lançado, consegue se superar mais. Além de vir focando seus desenhos/ animações em um público-alvo crescente: os adultos. Mesmo sempre tendo apelos infantis, para interesse da garotada, o roteiro é recheado de piadas e temas voltados para o público crescido; e Up é uma animação completamente assim.
Uma história pesada e complexa para crianças, a ponto de amedontrar os pequenos (assisti hoje, e a sala estava cheia de crianças chorando e os pais se divertindo). Após a perda da esposa - os primeiros 5 minutos do filme fazem até a pior pessoa do mundo se emocionar - um senhor de idade, que também vê sua casa sendo ameaçada, resolve partir para uma aventura e cumprir planos que fazia com sua amada.
Sou muito suspeita para falar de animações, sem dúvida um dos meus gêneros favoritos, mas recomendo a todos os adultos que mantém uma criança viva dentro de si.

Classificação: MARAVILHOSO

Ficha técnica e poster: IMDb



segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Duets - vem cantar comigo

  • título original:Duets
  • gênero:Comédia
  • duração:01 hs 32 min
  • ano de lançamento:2000
  • estúdio:Beacon Films, Inc. / Hollywood Pictures / Seven Arts Pictures
  • distribuidora:Buena Vista Pictures
  • direção: Bruce Paltrow
  • roteiro:John Byrum
  • produção:John Byrum, Kevin Jones e Bruce Paltrow
  • música:David Newman
  • direção de arte:William Heslup
  • figurino:Mary Claire Hannan
  • edição:Gerald B. Greenberg
Uma filha que encontra seu pai, um golpista; um ladrão faz amizade com um homem workholic e ignorado pela família; um fracassado tem seu caminho cruzado por uma prostituta. Todos desacreditados com suas vidas e com o "sonho americano" buscam refúgio emocional e financeiro em campeonatos de karaokê. A música como caminho principal dá um tom mais leve ao filme, mas a crítica a falta de oportunidade na sociedade para aqueles considerados "fracassados" é gigante. E a trilha sonora é ótima, além de muito bem interpretada. Parece só mais um musical, mas nas entrelinhas vê-se muito mais que isso. Para quem gosta de dar risada com a desgraça alheia é uma boa pedida.

Classificação: BOM

Ficha técnica: IMDb